A deputada e pastora suspeita de assassinato deve usar tornozeleira eletrônica

Deputada Flordelis e o marido assassinado pastor Anderson

Deputada do PSD-RJ é acusada de ser a mandante do assassinato do marido, pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019.

A Justiça do Rio de Janeiro determinou nesta sexta-feira (18) que a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) seja monitorada por tornozeleira eletrônica e fique em recolhimento domiciliar das 23h às 6h.

A decisão foi da juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói. Ela atendeu parcialmente pedido do Ministério Público fluminense, que também havia pedido o afastamento dela do cargo.

Flordelis e outras 10 pessoas, incluindo filhos do casal, respondem pelo assassinato do pastor dentro de sua casa em Niterói, em junho do ano passado.

O casal se tornou célebre ao adotar dezenas de filhos, a maioria de situações de risco social, vivendo nas ruas.

Flordelis sempre negou participação no crime. Ela sustentou que o marido foi vítima de uma tentativa frustrada de assalto. Ela responde por homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima), associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso.

A parlamentar também foi denunciada por tentativa de assassinato porque teria tentado matar o marido envenenado antes de o crime realmente acontecer, mas com arma de fogo.

 

Fonte: Metrópoles

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here