“A gente nunca achou um prefeito que desse um incentivo desses à gente, à agricultura familiar”, disse José Linaldo, presidente da UARA, em Feira da Agricultura Familiar realizada nesta quinta-feira (26)

Com representantes de 22 associações rurais, uma variedade de opções naturais e valorizando o trabalhador do campo, a Feira Agroecológica Familiar de Alagoinhas se consolida, no município, com ações semanais para a comercialização de produtos da terra.

A feira, que já é realizada semanalmente no IF Baiano, sempre às quartas-feiras, será realizada, a partir de agora, também no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, toda quinta-feira, das 7h às 14h.

A iniciativa é da União das Associações Rurais de Alagoinhas (UARA), com apoio da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Agricultura (SEMAG), e a feira é aberta ao público.

Para o secretário municipal de agricultura, Geraldo Almeida, a realização é importante não apenas no sentido de escoamento do produto, mas também na valorização do homem do campo e na aproximação entre os pequenos produtores e o consumidor final. “Ganha o pequeno produtor, com a geração de renda, e ganha o consumidor, na agricultura que garante a segurança alimentar e o desenvolvimento rural sustentável. A Secretaria Municipal de Agricultura estimula essas feiras itinerantes e apoia as realizações. Não podemos deixar de ressaltar a atuação da UARA, que tem promovido essa integração”, ressaltou o gestor.

O presidente da UARA, José Linaldo, enfatizou que a feira é geração de renda para o homem do campo e salientou a importância da união entre instâncias municipais, comunidade, produtores e instituições de ensino para incentivar o consumo de produtos da agroecologia e fomentar a produção local.

“O governo municipal tem ajudado, o prefeito tem ajudado, junto com a Secretaria de Agricultura, não podemos esquecer também do apoio do vereador Juracy, dos parceiros do IF Baiano, que nos motivaram desde o início. Está sendo ótima a feira, gerando trabalho e renda para o povo. A gente tem a agradecer ao prefeito Joaquim Neto, que a gente nunca achou um prefeito que desse um incentivo desses à gente, à agricultura familiar, e ao secretário Geraldo Almeida, que é nota 10”, afirmou José Linaldo, o “Zeca”.

Segundo José Antônio de Jesus, agricultor da região da Espuma, que comercializou os produtos na feira desta semana, no Colégio Modelo, é preciso reconhecer a importância da roça e valorizar o trabalho do campo. “Na realidade, eu trabalho com agricultura desde pequeno. Quando eu fiz 21 anos, eu viajei, saí da roça. E agora tem 3 anos que eu retornei pra roça de novo, porque é melhor. O clima é mais gostoso, é fresco, e a cidade você sabe, né, São Paulo é aquele caos, muita temperatura. Na roça, não. Na roça, é ar fresco. Você planta, você come as coisas, não é congelado”, relatou.

Da roça de S. José Antônio, de 54 anos, saem couve, fava, pimenta de cheiro, jiló, maxixe, limão, laranja, lima, poncã, coentro, alface. E o que o que ele colhe da terra vira alimento fresco comercializado diretamente para a mesa das famílias de Alagoinhas. “Vivo disso aqui. Eu, meu pai, minha mãe, minhas irmãs”, acrescentou.

Ao lado dele, pelo menos 20 expositores apresentam, ao público, os produtos que cultivam nas regiões do Pindobal, Espuma, Espinho, Conceição de Cima, Olhos D´Água, Cangula, Rio Branco, Sauípe, Mangueira, Papagaio I, Papagaio II e Ponto do Beiju.

A UARA informou que a Feira Agroecológica, aberta à população, será realizada semanalmente, tanto no IF Baiano quanto no Colégio Modelo.

 

Fonte: Secom/Alagoinhas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here