Alagoinhas avança no combate à Dengue

 Juntos, mutirões somam 97 toneladas de lixo e entulhos recolhidos.

Em Alagoinhas, o balanço de ações de combate à Dengue é positivo: em parceria com moradores, integrantes das associações de bairro, agentes do setor de endemias e Comissão Interinstitucional, o município atingiu a marca significativa de 97 toneladas de lixo e entulho recolhidos durante os mutirões realizados no último ano.

Foram mais de 150 pessoas diretamente envolvidas em ações que contemplaram as localidades Barreiro de Cima, Barreiro de Baixo, Santo Antônio, Bom Viver, Jardim Pedro Braga, Teresópolis, centro, Parque São Francisco, Brisas do Catu, Urbis III e Mãe Cirilla.

A grande operação conjunta, que atingiu dezenas de ruas e diferentes localidades, com um trabalho intensivo de inspeção de quintais e terrenos para eliminar criadouros do mosquito, foi efetiva. O último Levantamento Rápido (LIRAa) de 2019 apontou para uma queda significativa do Índice de Infestação Predial, que saiu da casa de 5.6 para 2.2. Isso significa que a cidade saiu da zona vermelha de alto risco e avança, com um trabalho intensivo de combate à Dengue nos bairros.

Com resultados positivos, a Secretaria Municipal de Saúde (SESAU) reúne as associações comunitárias, neste domingo (12), para um evento de encerramento dos mutirões 2019 e planejamento 2020, com premiação simbólica para os moradores, que se engajaram no trabalho de eliminar criadouros do mosquito vetor. “Os números e estatísticas do final do último ano mostram que os depósitos criadouros tipo 2, ou seja, aqueles que representam lixo, resíduo, caíram consideravelmente. Os mutirões tiveram um papel fundamental nessa redução. O momento é de compartilhamento dos resultados positivos, mas também de planejamento para os próximos mutirões e de envolvimento das comunidades para que as ações deste ano continuem trazendo impactos significativos. Vamos em frente, intensificando o trabalho e as ações”, afirma a secretária municipal de saúde, Rosania Rabelo.

Envolvimento da comunidade – Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SESAU), as associações tiveram um papel fundamental no sucesso dos mutirões realizados, com uma redução significativa de criadouros do mosquito a partir de uma ação coletiva.

Idealizados, em Alagoinhas, pela Associação de Moradores da comunidade de Nova Brasília, os mutirões, que contaram com a adesão das associações do Pedro Braga, Teresópolis, Avenida da Leste, Urbis III, Rua do Catu, Urupiara, Brisas do Catu, Mãe Cirila, Parque São Francisco e Barreiro, ganharam uma nova dimensão no último ano, com o apoio total da Prefeitura, por meio das secretarias de Saúde, de Infraestrutura, Serviços Públicos e do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE).

Conscientização – Os principais desafios para o combate à Dengue, segundo a coordenadora de endemias, Telma Pio, continua sendo a conscientização. Por isso, paralelamente às ações nos bairros da cidade, a Prefeitura promoveu palestras e lançou também, em 2019, o projeto Agente Mirim, junto a escolas da rede municipal.

A iniciativa, idealizada com foco na ampliação de ações estratégicas de redução dos índices de infestação do mosquito, desperta crianças e adolescentes quanto aos cuidados para evitar o acúmulo de água parada e forma agentes fiscalizadores, com atividades lúdicas nas salas de aula.

O trabalho continua – Em 2020, as equipes seguem mobilizadas. Profissionais do setor de endemias dão continuidade às visitas domiciliares e equipes agem diretamente nos pontos críticos, iniciando frentes de trabalho com tratamento nos depósitos, bombas motorizadas e agentes em campo.
A previsão agora, segundo o setor de Endemias, é ampliar as ações de conscientização nas escolas. Novos mutirões também estão previstos para este ano, após a divulgação do 1° LIRAa de 2020.

 

Fonte: Secom Alagoinhas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here