Alto Comando já deu apoio para o comandante do exército punir Pazuello

Eduardo Pazuello em ato pró-Bolsonaro no Rio de Janeiro: estatudo militar proibe oficiais da ativa de participar de manifestações políticas | ANDRE BORGES / AFP

Segundo o jornalista Ancelmo Gois, “o mais provável é que Eduardo Pazuello sofra uma advertência combinada com a ida para a reserva”, após participar de manifestação política em defesa de Jair Bolsonaro, ação que é proibida no Exército.

“O comandante do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira, já tem o apoio unânime do Alto Comando para punir o general Eduardo Pazuello, que participou de um ato político de apoio a Jair Bolsonaro, no Rio, domingo passado”, informa o jornalista Ancelmo Gois, em sua coluna no jornal O Globo. 

Ancelmo destaca “que é proibido para militares da ativa manifestações políticas de qualquer tipo”. “Tudo está sendo feito como se nada estivesse sendo feito. Ou seja, vão tentar manter as aparências para não deixar muitas sequelas”, acrescenta. 

Segundo o jornalista, “o mais provável é que a pena seja uma advertência combinada com a ida para a reserva. Como o delito é indisciplina – não é um crime -, consideram que fica de bom tamanho para não atiçar ainda mais o ‘anfitrião’ da insubordinação, Jair Bolsonaro, o comandante em chefe das Forças Armadas”.

Fonte: Brasil 247

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here