Angela Merkel é escolhida a mulher mais poderosa do mundo pela 10ª vez

Primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel

Revista ‘Forbes’ anunciou a lista das 100 mulheres mais poderosas do mundo. Em segundo, ficou Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu, e em terceiro, Kamala Harris, a vice-presidente eleita dos EUA.

Angela Merkel, a chanceler da Alemanha, foi escolhida pela décima vez consecutiva como a mulher mais poderosa do mundo pela revista “Forbes”, que divulgou os nomes de 2020 nesta terça-feira (8).

Essa é a 15ª vez que Merkel aparece na lista (cinco vezes, ela não foi considerada a primeira da lista).

Ela foi eleita para o cargo de chanceler pela primeira vez em 2005, e está atualmente no seu quarto mandato. Ela anunciou, em 2018, que não vai concorrer mais.

Na prática, Merkel é considerada a líder da Europa.

Recentemente, ela prorrogou até o dia 10 de janeiro as medidas de isolamento para conter o coronavírus na Alemanha. A determinação, chamada de “lockdown parcial”, inclui o fechamento de restaurantes, museus e áreas de lazer.

Christine Lagarde, a presidente do Banco Europeu, ficou em segundo na lista, pela segunda vez. Lagarde é francesa, e entre 2011 e 2019, foi a diretora do Fundo Monetário Internacional.

Kamala Harris, a 3ª mais poderosa do mundo – Kamala Harris foi eleita vice-presidente dos Estados Unidos na chapa de Joe Biden. É a primeira mulher a ocupar o posto no país.

Harris é senadora pelo estado da Califórnia. Antes disso, ela foi a procuradora-geral desse estado. Ela é filha de imigrantes: seu pai nasceu na Jamaica, e sua mãe, na Índia.

Veja abaixo quem são as dez primeiras da lista:

  • Angela Merkel, alemã, chanceler da Alemanha;
  • Christine Lagarde, francesa, presidente do Banco Central Europeu
  • Kamala Harris, americana, vice-presidente eleita dos EUA;
  • Ursula von der Leyen, alemã, presidente da Comissão Europeia;
  • Melinda Gates, americana, copresidente da Fundação Bill e Melinda Gates;
  • Mary Barra, americana, diretora-executiva da General Motors;
  • Nancy Pelosi, americana, presidente da Câmara dos Deputados dos EUA;
  • Ana Patricia Botín, espanhola, presidente do conselho de administração do Santander;
  • Abigail Johnson, americana, diretora-executiva da Fidelity Investments;
  • Gail Boudreaux, americana, diretora-executiva da empresa de seguros Anthem

Brasileira na lista – Há uma brasileira na lista, a diretora financeira da Petrobras, Andrea Marques de Almeida, que ficou em 77º lugar.

A Forbes salienta que foi Marques de Almeida que anunciou, em 2019, o programa de venda de ativos da Petrobras, que tem como meta arrecadar pelo menos US$ 20 bilhões (cerca de R$ 102 bilhões) para a empresa.

A brasileira é uma engenheira de produção. Apesar de ela estar na Petrobras, a maior parte da sua carreira aconteceu na Vale. Ela foi da área de finanças, tesouraria e gerenciamento de risco da empresa de mineração.

Entre 2015 e 2018, foi diretora financeira da Vale Canadá, em Toronto. Depois disso, foi gerente executiva de tesouraria global da Vale.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here