Após virada de Biden, Trump ameaça recorrer à Justiça

Joe Biden e Donald Trump

Biden amplia vantagem e Trump tenta barrar contagem.

Biden lidera em estados-chave e está mais perto de conquistar Presidência. Em desvantagem, Trump dispara acusações de fraude sem apresentar provas e tenta barrar contagem em três estados.

Os americanos entraram também nesta quinta-feira (05/11), dois dias após a eleição, com o temor de não saber por dias quem será seu presidente a partir de 2021.

A apuração está sendo marcada por uma disputa voto a voto entre o republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden. Mas a contagem tem acelerado.

No fim da tarde desta quarta-feira, apenas um punhado de estados ainda estavam contabilizando votos. O presidente chegou a clamar vitória em discurso na Casa Branca, mas a imprensa americana se apressou a rechaçar a reivindicação. Por enquanto, a vantagem está com o democrata Joe Biden, que acumula mais votos no Colégio Eleitoral.

Trump também tem ameaçado judicializar o processo eleitoral. Sua campanha já entrou com ações para barrar a contagem de votos em três estados: Michigan, Pensilvânia e Geórgia. Nos dois últimos, o presidente largou na frente, mas sua vantagem começou a diminuir significativamente conforme os sufrágios eram computados.

Trump também vem dado sinais de que pretende arrastar a eleição entrando com recursos na Suprema Corte. Em desvantagem, ele também tem alimentado, sem provas, acusações de fraude.

O processo eleitoral americano é diferente: vale o peso que cada estado tem no Colégio Eleitoral. E há vários estados-chave com a disputa ainda em aberto.

Os americanos também votaram para renovar parte do Congresso. Segundo projeções, os democratas podem ter maioria na Câmara dos Representantes, a qual já controlam, mas os republicanos devem manter a maioria no Senado.

Para vencer o pleito presidencial, um candidato precisa ter 270 votos no Colégio Eleitoral.

 

Fonte: DW – Made for minds

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here