ARTE, POEIRA E CHUVISCO

Arte, poeira e chuvisco foi contemplado 8ª edição do edital Calendário das Artes, na categoria Artes Integradas.

Provocados por diferentes nuances do isolamento social frente ao combate da pandemia do Coronavírus (COVID-19), os artistas Fabíola Nansurê, Igor Nascimento e Nando Zâmbia reúnem-se em torno dos modos como cada um vem se relacionando com esse histórico acontecimento, para criar uma rede de apoio e escuta para fortalecimento das saúdes relacionais.

ARTE, POEIRA E CHUVISCO relaciona-se com as pequenas revoluções subjetivas, as miudezas rotineiras e as angústias imprevisíveis. Inspirado pela imagem da arte como veículo desempoeirador e do chuvisco como uma fina chuva que molha os corpos por completo, enxerga-se esse projeto como inaugurador de vontades, desejos e caminhos numa paisagem árida ante um vírus que se alastra de forma invisível.

A arte tem sido essencial no enfrentamento à pandemia, no sentido de servir como mantenedora e mediadora da saúde relacional, ocupacional e subjetiva da população, assim como entre artistas que estão criando e se reinventando.

Arte, poeira e chuvisco foi contemplado 8ª edição do edital Calendário das Artes, na categoria Artes Integradas. Este projeto foi aprovado pelo edital Calendário das Artes 2020 – 8ª edição, da Fundação Cultural do Estado da Bahia, entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here