Áudios de operadores de torres de controle com piloto de helicóptero de Kobe Bryant são divulgados

Condições climáticas eram desfavoráveis para voos de helicóptero; nomes de todas as vítimas foram publicados.

Foi divulgado um áudio dos últimos diálogos entre operadores de torres de comando da Califórnia e o piloto de helicóptero do acidente matou o ex-astro da NBA Kobe Bryant, sua filha e sete outras pessoas perto de Los Angeles, nos Estados Unidos, no domingo (26).

O site VASAviation tornou os diálogos públicos. O helicóptero, que é identificado pela sigla N72EX, conversa com três operadores diferentes. O primeiro pede para que o piloto entre em contato com a unidade controladora de Van Nuys.

Essa operadora passa condições de voo, como vento e visibilidade. O piloto responde com informações da sua situação.

A operadora pede para que ele entre em contato com uma torre chamada Socal. O piloto responde afirmativamente, e, logo depois, pede autorização para entrar em uma rota de voo.

A operadora aprova, mas pergunta logo em seguida se ele está fazendo a transição em condições de acordo com as regras de voo visuais. Ele diz que tem visibilidade.

A atendente pede novamente para que o piloto do helicóptero entre em contato com a outra torre de Socal.

Esse terceiro operador tenta entrar em contato, mas não consegue. “Helicóptero 72EX, diga suas intenções”, pede ele. Não há resposta.

A última fala do funcionário da torre de comando é a seguinte: “Helicóptero 72EX, você ainda está em um nível muito baixo para acompanhamento de voo neste momento”.

Condições climáticas desfavoráveis:

Bombeiros trabalham no local onde o helicóptero que transportava o ex-jogador Kobe Bryant caiu no domingo (26), na Califórnia (EUA)  — Foto: Marca Ralston / AFP

As condições climáticas provavelmente vão aparecer na análise de investigadores sobre o acidente.

Um helicóptero Sikorsky S-76, de propriedade de Bryant, bateu numa encosta íngreme nos arredores da cidade de Calabasas, na Califórnia, cerca de 65 quilômetros a noroeste do centro de Los Angeles, causando incêndio e espalhando detritos por 1.000 metros quadrados de terreno gramado.

Horas depois, as autoridades do condado de Los Angeles disseram que todas as nove pessoas a bordo do helicóptero morreram no acidente.

As mortes de Bryant, de 41 anos, e sua filha Gianna, de 13, foram confirmadas pela NBA, provocando uma onda de tristeza entre fãs, atletas e políticos nos Estados Unidos e por diversos países do mundo.

Segundo a mídia local, Bryant e os demais passageiros estavam a caminho de uma academia de esportes na cidade vizinha de Thousand Oaks, onde o ex-jogador treinaria o time de basquete da filha em um torneio juvenil.

Investigadores da Administração Federal de Aviação e do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos Estados Unidos começaram a chegar ao local no domingo (26) para iniciar investigações separadas do acidente.

Condições climáticas ruins – Entre os fatores que se espera estar na linha de frente da análise estão as condições climáticas, uma vez que os meteorologistas relataram nuvens baixas e visibilidade limitada nas proximidades no momento do acidente, e várias testemunhas oculares observaram uma névoa espessa sobre o vale onde o helicóptero caiu.

O nevoeiro na área era tão ruim no domingo de manhã que tanto o Departamento de Polícia de Los Angeles quanto o Departamento do Xerife do Condado de Los Angeles determinaram que suas frotas de helicópteros ficassem em solo, informou o Los Angeles Times, citando autoridades.

“A situação climática não atendeu aos nossos padrões mínimos de voo”, disse o porta-voz da polícia de Los Angeles Josh Rubenstein ao Times.

O departamento do xerife também não aprovou a decolagem de helicópteros na manhã de domingo, “basicamente por causa do clima”, disse o xerife Alex Villanueva, segundo o Times.

Desde à época em que jogava, Bryant era conhecido por viajar com frequência de helicóptero para evitar o notório tráfego da área de Los Angeles.

Bryant jogou durante 20 anos pelo Los Angeles Lakers, vencendo cinco campeonatos da NBA. Ele é o quarto maior cestinha da história da liga, com 33.643 pontos na carreira.

Outros passageiros – Entre os passageiros a bordo do helicóptero, além do piloto, estavam uma companheira de equipe do time de basquete da filha de Bryant, Alyssa Altobelli, e os pais dela, John e Keri Altobelli.

Também a bordo estava Christina Mauser, uma treinadora assistente de basquete de meninas de uma escola particular no Condado de Orange, disse a prefeita Katrina Foley, de Costa Mesa, na Califórnia, em uma rede social.

Sarah Chester e sua filha Payton também morreram no acidente, de acordo com um post no Facebook do diretor de escola Todd Schmidt. Vários meios de comunicação do sul da Califórnia identificaram o piloto como Ara Zobayan.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here