Bolsonaro envia Fake news a Sérgio Moro

Presidente encaminhou texto que acusa Otto Alencar e Ângelo Coronel de irregularidades.

A divulgação de mensagens trocadas entre Jair Bolsonaro e Sergio Moro sobre a mudança no comando da Polícia Federal trouxe à tona que o presidente compartilhou uma notícia falsa sobre a reabertura do Hospital Espanhol, em Salvador, com o seu então ministro da Justiça.

Bolsonaro encaminhou a Moro um texto afirmando que um instituto que seria do senador Otto Alencar e do filho, o deputado federal Otto Filho, seria responsável por administrar o espaço, uma das unidades de referência de combate ao coronavírus na capital baiana. O texto diz ainda que o fornecimento de quentinhas para o hospital seria de uma empresa da família do senador Ângelo Coronel.

A fonte identificada na mensagem é “uma médica amiga” que teria estado em uma reunião da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) que tratou do assunto. O secretário “Fábio Dantas” (o nome correto é Fábio Villas-Boas) teria falado com todos “com toda arrogância” que não havia problema de dinheiro. “Nós temos 250 milhões para gastar! Vamos gastar”, teria afirmado. A mensagem diz que por conta de irregularidades assim “o covid não vai acabar nunca”.

O senador Otto Alencar divulgou um comunicado negando os fatos relatados na mensagem compartilhada por Bolsonaro. Ele diz que o texto será alvo de abertura de inquérito nas esferas civil e criminal da Justiça para descobrir sua origem. Afirma que ele e o filho não têm relação com o Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS) ou qualquer entidade ligada à reabertura do Hospital Espanhol. “É totalmente INVERÍDICA e FALSA a informação segundo a qual ambos ‘administrariam a saúde na Bahia’ e, com isso, obteriam proveito com recursos públicos”, diz.

O governador Rui Costa também comentou o caso. “Lamentável um presidente compartilhar e enviar notícia falsa a um ministro da Justiça. Esse fato pode ajudar no inquérito aberto pelo STF e na CPI das #FakeNews do Congresso, que buscam identificar e punir os responsáveis pelo esquema criminoso de divulgar mentiras e calúnias”, escreveu.

Leia a nota de Otto na íntegra:

A nota anônima “fake news” e criminosa atribuindo a sociedade do INTS – Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde ao Senador Otto Alencar, ao deputado federal Otto Alencar Filho e sua família será devidamente investigada através de abertura de inquérito e processo nas esferas civil e criminal da justiça, bem como acompanhada pelo competente advogado dr. João Daniel.

Desde março de 2018, Otto Filho deixou a presidência da Desenbahia e, desde então, não participando mais de sua gestão. De igual modo, é totalmente INVERÍDICA e FALSA a informação segundo a qual ambos “administrariam a saúde na Bahia” e, com isso, obteriam proveito com recursos públicos.

O Senador e o deputado federal reafirmam que não possuem qualquer relação com o INTS, bem como nenhum de seus familiares, ou mesmo qualquer outra entidade de gestão na saúde que tenha participado da licitação para a reabertura do Hospital Espanhol.

Através da Justiça e dos competentes órgãos policiais, vamos identificar esses delinquentes infratores para que sejam punidos de acordo com os rigores da lei, afirma o Senador Otto Alencar.

 

Fonte: Jornal Correio*

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here