Chapada Diamantina – além do ecoturismo, a produção da Igarashi e Fazenda Progresso contribuem para o desenvolvimento

Foto divulgação

Comitiva da Seplan e SDE visita empreendimentos na Chapada Diamantina.

Muito conhecida pelo ecoturismo, a Chapada Diamantina esconde outros tesouros. É na região que se encontra a Igarashi, maior produtora de batata do mundo, e a Fazenda Progresso, com seu mais recente projeto, a vinícola Uvva, além do consagrado café Latitude 13. Os locais estiveram na rota da visita institucional que a comitiva do Governo do Estado, formada pela Secretaria do Planejamento (Seplan) e Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), faz à região m. Chefiada pelo João Leão, a missão iniciou nesta segunda-feira (28) e vai até a quarta-feira (30), passando por seis municípios.

“Estivemos na Igarashi, que produz batata e emprega 2 mil trabalhadores, em Ibicoara, e na Fazenda Progresso, onde será construído um hotel de seis estrelas e um excelente case de enoturismo do país, em Mucugê. Estes dois são exemplos para tantos outros que prospectamos para a Bahia. Esse trabalho da Seplan e SDE juntas, de planejar o desenvolvimento territorial e atrair novos investidores vai trazer ainda mais empreendimentos para nosso estado”, afirma Leão, titular da Seplan.

“Nós estamos na Chapada Diamantina visitando duas grandes fazendas, a Igarashi e a Progresso. Na Igarashi a agricultura conta com alta tecnologia que está dando certo aqui na Bahia e vem se destacando, sobretudo, na maior produtora de batata do Brasil. A vinícola da Fazenda Progresso vai ajudar ainda mais na transformação da Chapada. E junto com a vinícola estamos acompanhando a implantação de um hotel de seis estrelas que vai ajudar a transformar o enoturismo desta belíssima região”, ressalta Nelson Leal, titular da SDE.

A unidade da Igarashi, que fica no distrito de Cascavel, em Ibicoara, é a que mais produz no país. São 85 mil toneladas de batata por ano e um total de 65 mil hectares (ha). Além das batatas, que é o carro chefe, tem um projeto de 20 hectares (ha) de tomate cereja produzido em cultivo protegido, que tem como principais benefícios a economia de água e a alta produtividade. São 16 estufas, com uma produtividade média de 11 mil quilos (kg) cada. A fazenda produz ainda alho, cebola, tomate e mirtilo (bluebarry).

Segundo Marcelo Petroli, responsável pelos vinhedos e vinhos da Vinícola Uvva, o local, que já está sendo ampliado, conta com 52 ha de vinhedo plantado. “O nosso projeto é concebido para 400 mil garrafas por ano, entre vinhos tintos de guarda, brancos e espumantes. O projeto é concebido para trabalhar enoturismo agregado com ecoturismo que já existe na região. Teremos visitações guiadas para conhecer os vinhedos e todo processo de elaboração e degustação dos nossos vinhos e em breve contaremos com um hotel aqui ao lado da vinícola”.

A vinícola conta com 60 colaboradores e estima que, quando estiver em pleno funcionamento, deve ultrapassar 100 funcionários. A expectativa é que ainda neste ano de 2021, entre em operação a parte de enoturismo e venda dos vinhos e o hotel esteja pronto em 2 anos.

Além de Leão, a comitiva é composta pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Nelson Leal, o deputado estadual Eduardo Salles, presidente da Frente Parlamentar do Setor Produtivo da Assembleia Legislativa da Bahia, e o diretor de Planejamento Territorial da Seplan, Herbert Oliveira.

 

Fonte: Ascom/Seplan

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here