Comandante aprofunda confronto com Bolsonaro e diz que Exército não é ‘instituição de governo’ nem tem partido

Comandante do Exército, General Edson Pujol

“Não mudamos a cada 4 anos a nossa maneira de pensar e como cumprir nossas missões”, afirmou o general Edson Pujol, durante seminário da Defesa Nacional, em meio às declarações beligerantes de Jair Bolsonaro.

O comandante do Exército, general Edson Pujol, disse durante o seminário da Defesa Nacional nesta sexta-feira (13) que a instituição não pertence nem ao governo nem a partidos políticos.

“Não somos instituição de governo, não temos partido, nosso partido é o Brasil. Independente de mudanças ou permanências em determinado governo por um período longo, as Forças Armadas cuidam do país, da nação. Elas são instituições de Estado, permanentes. Não mudamos a cada 4 anos a nossa maneira de pensar e como cumprir nossas missões”, afirmou o general.

As declarações vêm em meio às recentes invocações das forças armadas por parte de Jair Bolsonaro. Na última quarta-feira (11), o presidente defendeu o uso de “pólvora” contra os Estados Unidos, cujo presidente eleito, o Democrata Joe Biden, busca envolver os EUA na causa da defesa da Amazônia.

Durante uma cerimônia na Acadêmia Militar das Agulhas Negras, Bolsonaro atacou os vizinhos Argentina e Venezuela, que, segundo ele, estão “enveredando por outro caminho” no que diz respeito à liberdade.

O vice-presidente, general Hamilton Mourão, defendeu as declarações de Pujol, afirmando que “a política não pode entrar dentro do quartel”.

 

Fonte: Brasil 247

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here