Como evitar fraudes que desviam quantias do FGTS e PIS

C.E.F- Criminosos utilizavam rede de falsificadores para sacar valores de trabalhadores

Especialistas orientam como a vítima deve agir caso sofra um golpe.

As fraudes e golpes digitais vêm se tornando mais frequentes a cada dia, especialmente contra correntistas. Nesta quinta-feira, em Niterói, a Polícia Federal prendeu oito suspeitos de desviar, da Caixa Econômica Federal, quantias referentes ao FGTS e PIS. Segundo as investigações, o valor do prejuízo ultrapassa a marca de R$ 2 milhões, e um dos envolvidos do grupo, era funcionário do próprio banco. Mas afinal, diante de tantos casos, como os beneficiários podem se proteger desse tipo de fraude?

“A forma mais utilizada por cibercriminosos para conseguir realizar golpes bancários é através dos ataques de phishing. Por exemplo, quando os golpistas criam páginas falsas em que tentam replicar exatamente a aparência dos sites verdadeiros dos bancos para convencer as vítimas a cederem seus dados pessoais e bancários, dessa forma conseguem obter as informações e realizar transações financeiras sem autorização dos donos das contas”, explicou Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital.

Fique atento – Para evitar esse tipo de golpe, alguns passos podem ser seguidos pelos beneficiários. De início, é importante estar atento e acessar somente os sites oficiais, que inclusive não costumam mandar links pelas redes sociais, principalmente quando são ofertas “boas demais”. É importante que o usuário forneça suas informações pessoais em sites de confiança e, no caso de dúvida, pesquise a procedência do mesmo. Atualmente, existem sites que testam a segurança de links suspeitos, por meio de técnicas de inteligência artificial, como o do dfndr lab, por exemplo.

O advogado especialista em direito penal do Guimarães, Hesketh & Lemos Advogados, Breno Guimarães, acrescenta algumas dicas para evitar os golpes: “É importante tomar alguns cuidados, como acessar somente os links oficiais da Caixa ou do Governo, estar alerta ao recebimento de SMS ou mensagens de WhatsApp que peçam acesso a conta ou a valores, canais oficiais não mandam esse tipo de mensagem. Outro fator que torna mais difícil o cometimento de fraudes é evitar usar senhas com data de nascimento própria ou de familiares”.

Já fui vítima do golpe, e agora? – Para aqueles que já sofreram algum tipo de fraude, o primeiro passo é se dirigir até uma agência da Caixa Econômica e formalizar uma contestação informando o uso indevido. “Essa contestação pode levar em média até dez dias para ser analisada, e sendo comprovada, o beneficiário terá esse valor ressarcido. Não existe a necessidade de se dirigir a uma delegacia, porque essa contestação já é disponibilizada pela Caixa para a Polícia Federal. Se houver alguma necessidade de informação complementar a própria PF irá procurar o usuário”, informou o advogado.

No caso de contestação indeferida, a vítima ainda tem saída, como finalizou Guimarães: “o beneficiário ainda pode entrar com uma ação própria no Juizado Especial Federal, sob justificativa da responsabilidade da Caixa pelo fato de serviço, conforme o art. 14 da lei 8078/90, que diz que O fornecedor de serviços responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviços, bem como por informações insuficientes ou inadequadas sobre sua fruição e riscos.

 

Fonte: Jornal O Dia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here