Conjunto Eólico Campo Largo 2 inicia operação em teste

Foto: Divulgação

Na última quinta-feira (07), o Conjunto Eólico Campo Largo 2, em implantação pela ENGIE nos municípios de Umburanas e Sento Sé, na Bahia, começou a operar em testes. A energia gerada pela máquina já está sendo entregue na Subestação Campo Largo e distribuída pelo Sistema Interligado Nacional – SIN através da Subestação Ourolândia II.

Segundo o gerente de Projetos da ENGIE, Giuliano Pasquali, na  sequência,devem ser sincronizados aerogeradores dos demais parques. “ Nesta etapa confirmamos a boa execução do trabalho realizado nas obras civis, eletromecânicas e de montagem, a partir da aprovação nos testes e o bom funcionamento dos aerogeradores. Um grande marco alcançado pela empresa, que tem apostado em energias renováveis e contribuído para a transição energética do país”, destacou Pasquali.

No canteiro de obras, as equipes seguem com os trabalhos de montagem, 25% concluída e comissionamento dos equipamentos, além da implantação das redes de média tensão (34,5 kV), que vão interligar os aerogeradores à subestação.

Com investimento de R$ 1,6 bilhão, o Conjunto Eólico Campo Largo 2 é  formado por 86 aerogeradores e possui capacidade total instalada de 361,2 MW. Quando concluído, o empreendimento vai fazer com que a ENGIE ultrapasse os mil MW de capacidade instalada em energia eólica no Brasil.

Sobre a ENGIE – A ENGIE Brasil é a maior produtora privada de energia elétrica do Brasil, com capacidade instalada própria de 10.211MW em 61 usinas, o que representa cerca de 6% da capacidade do país. A empresa possui quase 90% de sua capacidade instalada no país proveniente de fontes renováveis e com baixas emissões de GEE, como usinas hidrelétricas, eólicas, solares e biomassa.

Com a aquisição da TAG, a ENGIE é agora também detentora da mais extensa malha de transporte de gás natural do país, com 4.500 km, que atravessam 10 estados e 191 municípios.

Além disso, o Grupo atua no Brasil na comercialização de energia no mercado livre e está entre as maiores empresas em geração fotovoltaica distribuída. A empresa possui ainda um portfólio completo em soluções integradas responsáveis em reduzir custos e melhorar infraestruturas para empresas e cidades, como eficiência energética, monitoramento e gerenciamento de energia, gestão de contratos de fornecimento de eletricidade, iluminação pública, sistemas de HVAC, telecomunicação, segurança e mobilidade Urbana. Contando com 2.750 colaboradores, a ENGIE teve no país em 2019 um faturamento de R$ 10,5 bilhões.

Receita em 2019: 64,1 bilhões de euros. O Grupo está cotado nas bolsas de Paris e Bruxelas (ENGI) e é representado nos principais índices financeiros.

 

 

Fonte: Ascom/ENGIE

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here