Dia do Enólogo: Terroir baiano rende vinhos de qualidade

Vinícola TerraNova Grupo Miolo Casa-Nova Vale São Francisco - Foto: Mateus Pereira GOV.BA

SDE aponta industrialização do setor e potencial na geração de empregos 

A localização estratégica, que facilita a distribuição dos produtos para as diversas regiões do país, o clima, a qualidade da água e o potencial frutífero são fatores responsáveis pela atração de empreendimentos no segmento de bebidas na Bahia. São 23 empresas implantadas incentivadas pelo governo baiano, que geram 8,8 mil empregos e investiram mais de R$ 4 bilhões no Estado. Além de abrigar grandes cervejarias, fábricas de bebidas não alcoólicas, a Bahia produz uvas viníferas de alta qualidade no meio do semiárido. No Dia do Enólogo, 22 de outubro, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) celebra o profissional que estuda a elaboração de vinhos e cuida dos rótulos baianos destacando o potencial de industrialização e geração de empregos no setor.

Vinícola TerraNova Grupo Miolo Casa-Nova Vale São Francisco – Foto: Mateus Pereira GOV.BA

 

De acordo com a SDE, o estado tem ainda 40 empreendimentos incentivados em implantação com previsão de gerar 850 empregos e investir aproximadamente R$ 1,3 bilhão. “Temos uma terra abençoada. Uma das melhores água do mundo e aptidão agrícola que nos leva a produzir vinhos premiados no Vale do São Francisco. Setembro, em especial, foi um mês de grandes notícias para o segmento. Atraímos a terceira cervejaria para Alagoinhas, a Cidade Imperial Petrópolis e a Fazenda Progresso lançou a vinícola Uvva – Cepas Diamantinas, em Mucugê”, afirma o vice-governador João Leão, titular da SDE.

Com investimento de R$ 50 milhões, o projeto na Chapada Diamantina, que já emprega 60 pessoas e prevê a contratação de mais 190 profissionais até 2021, envolve também a construção de um hotel. “Nosso projeto está inserido em um novo terroir. Elaboramos vinhos complexos aromaticamente com boa estrutura de potencial de guarda”, declara o enólogo da vinícola Uvva, Marcelo Petroli.

Segundo a enóloga Eloiza Texeira, da vinícola Terranova, da Miolo Wine Group, o terroir quente do Estado proporciona vinhos brancos e espumantes leves e descontraídos e tintos longevos e bem estruturados. Em 2019, o grupo que produz 3,3 mil toneladas de uvas por ano e gera 120 empregos diretos, investiu R$ 1 milhão em melhorias na unidade baiana. A Vinícola Terranova, no município de Casa Nova, produz 2,5 milhões de garrafas de espumante por ano, representando 85% de toda produção de espumante do grupo.

OBS Terroir é uma palavra francesa sem tradução em nenhum outro idioma. Significa a relação mais íntima entre o solo e o micro-clima particular, que concebe o nascimento de um tipo de uva, que expressa livremente sua qualidade, tipicidade e identidade em um grande vinho, sem que ninguém consiga explicar o porquê. Wikipedia

Ascom/SDE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here