Empresas baianas decretaram falência no mês de abril

Em decorrência a pandemia do coronavírus, a Junta Comercial do Estado da Bahia (Juceb) apontou que 762 empresas baianas decretaram falência no mês de abril.

O superintendente de Atração de Investimento do estado da Bahia, Paulo Guimarães, destaca que Salvador tem a economia mais voltada para a área de lazer e serviços, e por isso, a situação é delicada.

“Quem tem conseguido se manter é quem está se adaptando às estratégias possíveis, mas infelizmente, o pequeno, micro e médio empresário vem amargando uma concorrência desleal com grandes marcas que, geralmente, possuem uma musculatura econômica maior para suportar a queda nas vendas e que consegue oferecer opções mais competitivas nesse momento”, disse o superintendente.

Os micro e pequenos empresários, além de microempreendedores individuais (MEIs) podem ter acesso ao crédito para capital de giro no valor total de R$ 7,5 bilhões, disponibilizados pela Caixa Econômica Federal, cuja operação é viabilizada por meio do aporte de R$ 500 milhões do Sebrae.

Já a Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE) coletou propostas para elaborar um plano de ação de apoio aos Micro e Pequenos negócios do Estado. Enquanto o documento é preparado, está em curso a ferramenta Fique no Lar, que mapeia e cadastra os pequenos negócios que estão oferecendo serviço de Delivery (na capital e no interior) e pode ser usado também como aplicativo de busca pelos consumidores.

 

Fonte: Jornal A Tarde

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here