Hospitais recebem 61 mil itens de vestuário

Um total de 61 mil peças de vestuário para hospitais mais outros milhares de álcool em gel e álcool a 70% são os novos reforços anunciados pela Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) para a redução da incidência de coronavírus em Salvador.

Os hospitais da rede pública de saúde do estado começam a receber, a partir de hoje, 2,5 mil conjuntos de roupas para médicos e enfermeiros mais 3,5 mil camisolas para pacientes. As peças de vestuário vêm sendo produzidas pelos trabalhadores baianos do setor de confecções.

A maioria formada por mulheres costura lençóis, toalhas, camisolas e demais peças de vestuário para os profissionais de saúde. A iniciativa vai ajudar a preparar as unidades hospitalares, caso se confirme a alta demanda devido à pandemia de Covid-19.

A hipótese de que os números divulgados nas estatísticas oficiais possam estar subdimensionados, em razão da realização limitada de testes, até o momento, é uma boa razão para a confecção das peças, incluindo sete mil toalhas de banho e pijamas para os casos de internamento.

O Condomínio Bahia Têxtil vem produzindo ainda máscaras em poliéster tipo microfibra, embora com atraso, pois o produto está em falta no mercado e os raros pontos de venda que têm estoque costumam elevar demasiadamente o preço.

Já o álcool em gel e o álcool a 70%, com preços igualmente muito aumentados por mercadores, representam a boa oportunidade de as indústrias baianas, finalmente, direcionarem suas linhas de produção para fabricar estes itens tão necessários.

A falta do produto vai constar como um dos itens mais relevantes na análise qualitativa das estatísticas a partir da avaliação de negligência ou comprometimento de empresários e poder público.

“Estamos percebendo que o governo [Bolsonaro] não se preparou para uma crise dessa magnitude. Quem está fazendo o trabalho mais sério são os governadores e prefeitos” – Lula, ex-presidente, sobre o desempenho do governo federal na crise causada pela pandemia do coronavírus.

 

Fonte: Jornal A Tarde

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here