Hospital da Mulher já realizou mais de 3,5 mil partos este ano; mais de 600 são de municípios circunvizinhos

0
38

Somente nos quatro primeiros meses deste ano, o Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, já realizou 3.684 partos e o aumento da demanda de 30% é por conta de gestantes em situação de emergência ou de alto risco encaminhadas de municípios circunvizinhos.

Os dados da Prefeitura Municipal de Feira de Santana, aferidos pela Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), apontam que, de janeiro a abril deste ano, 641 gestantes deram entrada na maternidade municipal para a realização de parto – os números superam 2018 quando comparados ao total de 1582 pacientes advindos de outros municípios.

Somente no último fim de semana (entre os dias 3 e 5) trinta e duas gestantes da microrregião foram atendidas pela equipe de obstetrícia na unidade hospitalar e não passaram pela Central de Regulação Municipal.

A emergência do Hospital da Mulher é classificada para atender exclusivamente pacientes encaminhados por outros serviços previamente autorizados e de acordo à sua capacidade. A ação regulatória é definida como o processo de operacionalização, monitoramento e avaliação da solicitação de procedimentos, realizada por um profissional de saúde, levando em conta a classificação de risco, o cumprimento de protocolos de regulação estabelecidos para disponibilizar a alternativa assistencial mais adequada.

Antônio Cardoso, Amélia Rodrigues, Coração de Maria, São Gonçalo e Santo Estevão figuram entre as cidades com maior demanda e lideram o ranking de pacientes encaminhados diretamente para a porta da unidade hospitalar sem cumprir o protocolo de regulação.

“Como exemplo, de janeiro até março deste ano, já recebemos da cidade de São Gonçalo 223 gestantes na porta da emergência, sendo realizados 83 partos”, revela Gilberte Lucas, diretora presidente da FHFS.

A Prefeitura Municipal de Feira de Santana, através da gestão do prefeito Colbert Martins Filho, mantém o pagamento de 79% do custeio dos 120 leitos do Hospital da Mulher equivalente à receita total, sendo apenas 21% advindos via produção do Sistema Único de Saúde, o SUS.

Entre 2015 e abril de 2019 foi pago pela gestão municipal para a manutenção da unidade hospitalar mais de R$ 160 milhões (R$ 168.880.437,63), valor bem superior aos R$ 37.473.995,84 do SUS. Entretanto, atualmente, a maternidade municipal atende com mais de 20% de sua capacidade recebendo gestantes de todo o Estado.

Investimentos:

De 2015 até março deste ano a Prefeitura de Feira já investiu mais de 7 milhões (R$ 7.171.533,56) em todo o Complexo Municipal Materno-Infantil.

Reforma estrutural completa, modernização e ampliação de toda a unidade hospitalar, a exemplo do ambulatório que agora conta com quatorze novas salas, além do novo CME (Centro de Material Esterilizado) que passou a atender às exigências da vigilância sanitária.

Novos equipamentos também equipam o laboratório de exames, enfermarias C, D, e destaque para a B com a abertura de doze novos leitos, sem contar os aparelhos adquiridos para a central de esterilização, centro obstétrico, três novos leitos de UTI neonatal, berçário de médio risco e para o Banco de Leite Humano (BLH).

O Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) foi implantado em todo o hospital e os setores de entrega de exames do Centro Municipal de Diagnóstico por Imagem (CMDI) Dr. Eugênio Laurine e do Centro Municipal de Prevenção ao Câncer Romilda Maltez (CMPC) foram totalmente informatizados, sendo que este último recebeu reforma de ampliação em sua estrutura física.

As unidades de atendimento de saúde receberam ainda novos aparelhos de fototerapia, bisturi eletrônico, foco cirúrgico e um novo ultrassom.

Já o Método Canguru foi beneficiado com ampliação de seis leitos e o Hospital da Mulher ganhou também o setor de triagem por protocolo de Classificação de Risco. A frota de veículos foi renovada com a aquisição de mais uma ambulância.

O laboratório de análises clínicas foi totalmente reformado e ampliadas a sala de bacteriologia, de bioquímica, hematologia e da área da recepção com rampa para acessibilidade, proporcionando mais conforto e segurança aos pacientes. O equipamento público já ultrapassou a marca de um bilhão e 600 milhões de exames entre 2013 e 2019 (até abril).

Nova central de esterilização para lavanderia da unidade hospitalar, quatro novos leitos para parto humanizado e a mesma quantidade de leitos pré-parto implantados no Centro Obstétrico, além de mais uma sala de cirurgia, figuram na ampla lista de investimentos da Prefeitura de Feira.

 

Por: Coordenação de Obstetrícia do Hospital da Mulher – Feira de Santana – Ba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here