Inaugurado há oito anos, metrô foi um marco na mobilidade em Salvador e Lauro de Freitas

Sistema possui 19 estações em operação plena e abrange atualmente um trajeto de aproximadamente 33 km de extensão, que terá mais 5 Km com o Tramo 3

Há oito anos, no dia 11 de junho de 2014, o sistema metroviário de Salvador Lauro de Freitas, um marco na mobilidade da capital baiana, foi inaugurado e transformou a vida de milhares de soteropolitanos. Com a obra, que teve investimento de R$ 3,6 bilhões para a conclusão da Linha 1 e 2, o tempo de deslocamento de pessoas que dependiam apenas do sistema de ônibus passou a ser mais rápido, eficiente e seguro, o que melhorou consideravelmente a qualidade de vida da população. O sistema transportou diariamente mais de 240 pessoas por dia em 2021. Antes da pandemia, em 2019, eram mais de 350 mil. Do total de passageiros transportados, 60% usam para o trabalho e 20% são de estudantes.

Todas essas melhorias foram conquistadas com os esforços das gestões do PT, iniciada com Jaques Wagner, que assumiu um projeto municipal que foi praticamente abandonado por treze anos, e colocou o metrô em funcionamento em apenas sete meses. “Tanto Wagner quanto Rui Costa acertaram muito. Wagner, em colocar o metrô para andar e Rui, com a extensão do Tramo 3, e cabe a nós baianos nos orgulharmos desse grande patrimônio”, destacou o titular da Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado (Sedur), Jairo Silveira Magalhães.

 

Inaugurado em 2014 (Lapa/Aceso Norte), o metrô teve a Linha 1 concluída em dezembro de 2015 abrangendo 12 km do projeto original, (linha 1- trecho Lapa – Pirajá). A Linha 2 começou a ser implantada em 2015 e entrou em operação em dezembro de 2016 (Acesso Norte/Rodoviária), sendo concluída em abril de 2018 (Acesso Norte- Aeroporto). Atualmente, o sistema possui 19 estações em operação plena e abrange um trajeto de aproximadamente 33 km de extensão. Já Tramo 3 do metrô corresponde a expansão da Linha 1 ligando Pirajá até Águas Claras com extensão de 5 quilômetros, envolvendo a construção de mais duas estações metroviárias (Estação Campinas e a Estação Águas Claras/Cajazeiras).

A obra conta com um Investimento de R$ 596,4 milhões (Obras e Sistemas) e tem previsão de conclusão para final de 2022.  Com 60% das obras concluídas, o Tramo 3 está sendo implantado ao lado esquerdo da Rodovia BR-324, sentido Salvador – Feira de Santana, tendo início no KM-622, em Pirajá, e final no KM-616, próximo ao viaduto de Águas Claras, onde será integrado à futura Estação Rodoviária de Salvador.

Economia – O projeto do metrô conta também com a construção de terminais de ônibus e passarelas, além de complexos de viadutos nos bairros do Imbuí e Narandiba e vias marginais na Avenida Paralela como parte de um sistema integrado de mobilidade. Essas intervenções melhoram não apenas a mobilidade como também contribuíram para o desenvolvimento econômico da cidade.

“Não é só transportar passageiro, mas todo impacto de infraestrutura, de comércio, imobiliários, terrenos mais valorizados, gerando um fortalecimento da economia”, explicou o secretário da Sedur. Na região da Avenida Paralela, por exemplo, foram construídas novas faculdades, um shopping, mini shoppings, lojas e tantos outros empreendimentos comerciais e residenciais após a chegada do Metrô.


A implantação e operação do Sistema Metroviário Salvador Lauro de Freitas faz parte do Programa Mobilidade do Governo Estadual, que desenvolve diversas ações integradas para estruturação da mobilidade urbana na RMS. 
Antes dos governos do PT, no entanto, não existia planejamento de mobilidade no município, mas com o planejamento implementado para a melhoria da mobilidade urbana foi fomentando um ambiente propício para receber novas instalações e empreendimentos na cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here