ÌYÁ’S Festival de Artes de Mulheres Negras

Festival de Arte de Mulheres Negras.

Festival de teatro é criado para impulsionar protagonismo de mulheres negras. Cinco espetáculos fazem parte do Festival ÌYÁ’S.

ÌYÁ’S — Festival de Arte de Mulheres Negras foi criado para acolher poéticas,
estéticas e narrativas de mulheres negras, nesta primeira edição contamos com cinco
espetáculos que representam experiências femininas. O festival acontece entre os dias
11 e 27 de novembro, no Teatro Gamboa On-line. Além disso, três mesas temáticas são
formadas para promover discussões sobre feituras femininas, abordando Poéticas,
Estéticas, Trajetórias de Mulheres Negras Insurgentes e Teatro de Guerrilha com os
atravessamentos da militância. As mesas serão exibidas no Canal do Youtube Estudos em Teatro Negro.

Rosas Negras (Fabíola Nansurê), A Reza (Andréia Fábia), Sobejo (Eddy Veríssimo),
Ojú Òbe (Sanara Rocha), e VI(elas) – Inah Irenan, trazem em suas narrativas
ramificações da violência, autoimagem, feituras de cabeça e cuidados com o Ori. As
apresentações serão ao vivo pela plataforma de videoconferência, cumprindo
recomendações da OMS, prevenindo o público e elenco dos riscos da covid-19.
As interações estão ocorrendo pelo perfil oficial @festivaliyas, onde atrizes fazem
chamadas para o evento, contando como ele vem sendo pensado e quem está por trás de
cada projeto.

Eddy Veríssimo, solista que dá vida a Georgina Serrat, destaca: “Oportunizar espaços
de falas para mulheres negras, em meio a uma sociedade machista e preconceituosa é
mais que importante, é necessário, é preciso”. Ela também reforça “estatísticas mostram
todos os dias números alarmantes”.
Depois da declaração de estado de pandemia, a porcentagem de vítimas de feminicídios,
estupros, ameaças e lesões cresceu nas regiões brasileiras. Os dados são baseados em
ocorrências atendidas pela polícia militar, a pedido do Banco Mundial.
Para Juliana Monique, essa ação artística promove o reavivamento de existências de
mulheres negras. Enquanto Fabíola Nansurê acredita que mais um lugar de produção de
conhecimento está sendo realizado, essa pesquisadora, dançarina e protagonista de
Rosas Negras acrescenta “O empoderamento só é real se ele for coletivo”.

A união percebida encontra-se em saudações, direcionadas aos eventos: “A cena Tá
Preta” do bando de Teatro Olodum, “Fórum Negro de Artes cênicas da UFBA”,
“Festival Melanina Acentuada” e “Mostra Negra de Artes Cênicas”.

Verena Pita

FICHA TÉCNICA:
Direção de Produção – Juliana Monique
Produção Executiva – Eddy Veríssimo e Ely Batista
Assistência de Produção – Gaby Oliveira
Coordenação Técnica – Milena Pitombo
Assessoria de Marketing – Verena Pita
Publicidade – Thais Sousa
Designer Gráfica – Maria Luiza Ferreira
Composição de Trilha – Emilie Lapa e Thallia Anatália
Fotógrafa – Rose Batista
Edição de vídeos – Cláudio Nyack

 

Equipe de concepção do Festival – Eddy Veríssimo, Ely Batista, Fabíola Nansurê,
Juliana Monique, e Vera Lopes.

Fonte: Ascom

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here