Jornalistas vencem o Nobel da Paz por defesa da liberdade de expressão

Foto reprodução

Para o comitê da premiação, os escolhidos representam jornalistas de todo o mundo.

Dois jornalistas foram vencedores do Prêmio Nobel da Paz, anunciado nesta sexta-feira, 8. A filipina Maria Ressa e o russo Dmitry Muratov receberam o reconhecimento por seu “esforço para proteger a liberdade de expressão”. Em comunicado, a premiação destaca a importância do trabalho dos profissionais para a democracia.

Junto ao título recebido por suas atuações nos veículos Rappler (no qual Maria Ressa é diretora executiva) e Novaja Gazeta (fundado por Dmitry Muratov), a Academia Real das Ciências da Suécia dará 10 milhões de coroas suecas aos jornalistas, valor equivalente a R$6,3 milhões. O dinheiro será dividido entre os dois premiados.

Em um momento em que a liberdade de imprensa e a informação têm sido temas amplamente discutidos em todo o mundo, a escolha dos vencedores ganha um significado ainda maior. Para o comitê sueco, a escolha tem como objetivo representar todos os jornalistas.

“Ao mesmo tempo, eles são representantes de todos os jornalistas que defendem este ideal em um mundo em que a democracia e liberdade de imprensa enfrentam condições cada vez mais adversas” – defende o material sobre o Prêmio Nobel da Paz.

Ainda no comunicado, a Academia Real das Ciências da Suécia ressalta a importância da produção de jornalismo gratuito, independente e baseado em fatos serve para proteger contra o abuso de poder e a propagação de informações falsas.

“Sem liberdade de expressão e de imprensa, será difícil promover com sucesso a fraternidade entre as nações, o desarmamento e uma ordem mundial melhor para ter sucesso em nosso tempo”, aponta o documento em inglês.

 

Fonte: Comunique-se Portal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here