Mais uma fábrica fecha as portas no Brasil; Canon fecha sua unidade na Zona Franca de Manaus

Os cerca de 40 funcionários da unidade serão demitidos. Vendas e atendimento ao consumidor serão mantidos no país.

A Canon, de equipamentos para fotografia e impressão, está fechando sua fábrica no Brasil. Os cerca de 40 funcionários da unidade serão demitidos. A decisão foi tomada pela matriz japonesa, que irá mantér as demais operações da marca no país, informou a companhia em comunicado. 

Outras empresas anunciaram o encerramento de fábricas e atividades no país nos últimos anos e principalmente após o início da pandemia do novo coronavírus. A Sony, outra japonesa focada em câmeras, mas também em TVs e outros equipamentos, divulgou em setembro de 2020 sua decisão de deixar o mercado brasileiro.

A Ford, uma das gigantes do setor automotivo, a LafargeHolcim, fabricante de cimento, e mesmo a Cabify, de serviço de transporte com motoristas por aplicativo, estão entre as empresas que encerraram operações no Brasil.

A fábrica da Canon, instalada no Polo Industrial de Manaus, iniciou suas operações em 2013. O investimento foi anunciado anda em 2012, somando 110 milhões de ienes à época, para botar de pé a então primeira unidade fabril da companhia fora da Ásia, segundo informações do G1. A japonesa chegou ao Brasil de olho no crescimento do mercado de câmeras digitais no país e na América Latina. 

“A Canon do Brasil não deixará o mercado brasileiro e reafirma seu compromisso em oferecer serviços e produtos de qualidade e alta tecnologia aos clientes”, diz o comunicado, que destaca contar com lançamentos de produtos e serviços programados para os próximos meses no país.

O atendimento ao consumidor brasileiro não será afetado, frisa a companhia em nota, afirmando que as atividades de atendimento ao cliente, garantia e assistência técnica de produtos estão mantidas. Os produtos da Canon continuarão a ser oferecidos no Brasil por meio de sua loja virtual ou de seus representantes. 

A Ford, uma das gigantes do setor automotivo, a LafargeHolcim, fabricante de cimento, e mesmo a Cabify, de serviço de transporte com motoristas por aplicativo, estão entre as empresas que encerraram operações no Brasil. 

Fonte: Jornal O Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here