MEC – Fraudes em currículo levam ao adiamento da posse de ministro

As revelações de que o novo ministro da Educação (MEC), Carlos Decotelli, fraudou seu currículo, com doutorado e pós-doutorados inexistentes é o motivo do adiamento da posse, informou o colunista Lauro Jardim.

Marcada para terça-feira (30), a posse do novo ministro da Educação do governo de Jair Bolsonaro, Carlos Alberto Decotelli da Silva, foi adiada. Não há ainda nova data. A informação é do jornalista Lauro Jardim, em sua coluna no portal O Globo.

As revelações de que Decotelli fraudou seu currículo, com doutorado (na Argentina) e pós-doutorados (na Alemanha) inexistentes é o motivo do adiamento.

Nesta segunda-feira (29) foi revelado que Decotelli, não estudou por dois anos na  Universidade de Wüppertal, na Alemanha, como divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) e segundo consta no Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A instituição alemã esclareceu ao portal O Globo que o ministro conduziu pesquisas na universidade por um período de três meses em 2016, mas sem concluir qualquer programa de pós-doutoramento.

Já o reitor da Universidade Nacional de Rosário, na Argentina, Franco Bartolacci, negou no Twitter nesta sexta-feira (26) que o novo ministro da Educação do Brasil, Carlos Alberto Decotelli da Silva, tenha doutorado na instituição.

 

Fonte: Brasil 247

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here