Mourão atropela Bolsonaro e reconhece vitória de Biden

Vice-presidente Hamilton Mourão

Um dia depois de um embate público com Jair Bolsonaro, o vice volta a complicar a situação do presidente ao dizer que, “como indivíduo”, reconhece a vitória de Joe Biden nos Estados Unidos.

O vice-presidente Hamilton Mourão voltou a complicar a situação de Jair Bolsonaro ao dizer que, “como indivíduo”, reconhece a vitória de Joe Biden nos Estados Unidos. Enquanto isso, Bolsonaro se agarra a Donald Trump e seus processos judiciais contra o resultado da eleição e se recusa a aceitar sua derrota.

Em entrevista à Rádio Gaúcha na manhã desta sexta-feira (13), Mourão afirmou: “Como indivíduo eu reconheço, eu não respondo pelo governo, mas como indivíduo eu julgo que vitória de Biden está cada vez mais sendo irreversível”.

Nesta quinta-feira (12) os dois protagonizaram um embate público. Bolsonaro atacou o jornal o Estado de S.Paulo por causa de uma reportagem afirmando que o governo vai expropriar as propriedades em cidades com registros de queimadas ou desmatamentos ilegais. A medida, no entanto, consta em um programa do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNLA), órgão comandado pelo vice-presidente, Hamilton Mourão.

Na sequência, Mourão comentou a irritação de Bolsonaro sobre a proposta e afirmou que ‘se penitencia’ por não ter colocado o documento em sigilo.

Brasil isolado – Ao contrário do Brasil, que se recusa a aceitar a vitória de Biden, diversos líderes mundiais cumprimentaram o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, e a vice-presidente eleita, Kamala Harris, pela vitória na corrida eleitoral anunciada neste sábado, denotando um desejo por mais aproximação com a nova administração da Casa Branca.

Nesta sexta, foi a vez da China, que junto à Rússia e ao Brasil, era um dos poucos países que ainda não havia feito uma declaração pública reconhecendo a derrota de Trump. “Congratulamos Biden e Harris”, disse Wang Wenbi, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês.

Presidentes e primeiros-ministros de países da América do Sul, como Argentina, Chile e Uruguai, e europeus, como Alemanha, França, Portugal e Reino Unido, reconheceram a vitória e cumprimentaram Biden. Até a Índia de Narendra Modi, de extrema direita, também reconheceu. Na manhã desta sexta, a China também parabenizou Biden pela vitória. Lula, Rodrigo Maia e Ciro Gomes saudaram vitória do democrata.

 

Fonte: Brasil 247

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here