Na Europa, a bolsa sobe. No Brasil, o olhar é sobre a inflação

Mineração de ferro em Carajás, maior mina da Vale | Foto: Germano Lüders/Exame

As ações europeias sobem nesta terça-feira, 29, se recuperando do último pregão, quando temores sobre variantes do coronavírus derrubaram as bolsas do continente. Nos Estados Unidos, os índices futuros oscilam próximos da estabilidade, após o S&P 500 e o Nasdaq firmarem novos recordes.

Sem grandes dados macroeconômicos para serem divulgados no exterior, economistas avaliam os últimos índices de confiança divulgados na Europa, que saíram acima das expectativas. Às 11h, ainda será divulgado a confiança do consumidor americano.

No Brasil, as atenções estarão com os números de inflação. Previsto para sair às 8h, o IGP-M de junho deve desacelerar de uma alta mensal de 4% para 1%, segundo as projeções colhidas pela Bloomberg.

Outro dado que estará no radar dos investidores será o índice de preço ao produtor (IPP), que encerrou maio com alta de acumulada de 31,7% no acumulado de 12 meses, pressionado pelo câmbio e pela valorização das commodities.

Petróleo e minério de ferro no vermelho – Em forte alta desde meados do ano passado, o petróleo brent recua nesta manhã pelo segundo dia seguido, com preocupações de que a retomada da demanda seja mais lenta em função de novas restrições para conter a variante delta. Na Austrália, parte do país retomou o lockdown para conter a proliferação do vírus.

Na China, o minério de ferro fechou em queda de quase 3%. De acordo com a Reuters, a desvalorização foi pressionada pela desaceleração da demanda de aço no país devido ao clima desfavorável e ameaças de intervenção no mercado por parte das autoridades chinesas.

Ouro tem pior mês desde 2016 – Com queda acumulada de 7% em junho, o ouro caminha para registrar a maior perda mensal desde novembro de 2016. Conhecido por ser um ativo de proteção contra períodos de turbulência no mercado e/ou contra a inflação, a queda da commodity foi impulsionada pela maior percepção de que os efeitos inflacionários dos Estados Unidos são passageiros e que o Federal Reserve irá manter sua política de estímulos intacta por mais algum tempo. No ano, o metal teve duas altas mensais, e acumula perdas de cerca de 7% no período.

Ambipar – A Ambipar (AMBP3) anunciou mais uma aquisição na última noite, desta vez dos 50% restantes da Suatrans. Líder de mercado no Chile, a empresa atua no atendimento a emergências  ambientais e presta serviço de assistência, como pré-hospitalar, guincho e patrulha, nas principais rodovias do país. Além do Chile, a Suatrans também está presente no Peru, Uruguai e Colômbia.

No último pregão, as ações da Ambipar dispararam 8,63%, com investidores repercutindo o anúncio da compra da Disal, também focada em mercados da América do Sul. Somente neste ano, a empresa fechou mais de 7 aquisições estratégicas.

 

Fonte: Revista Exame

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here