“…nada parece fazer sentido ou ter sequer algum significado.”

O último livro publicado por Umberto Eco – “Pape Satán Aleppe ‘, uma reunião de crônicas publicadas na revista italiana L’ Espresso,  trata do que ele chama de uma sociedade líquida, ideia que se deve a Bauman,  onde o “ambiente em que vivemos é de uma sociedade líquida, onde nada parece fazer sentido ou ter sequer algum significado.

E por qual motivo estou citando Eco, Bauman e a sociedade líquida? Desde ontem, vivendo uma situação pessoal surreal que não vou abordar agora, recebi inúmeras mensagens de leitores e de amigos sobre as cadeiras que foram colocadas no Terminal de Coletivo, cobrando um posicionamento do jornal.

O país vive uma situação assustadora. Na nossa região o número de demissões se aproxima, se no momento que escrevo já não chegou, da casa do milhar e um número considerável de pessoas se dedica a fazer circular inverdades. A obra do Terminal de Coletivos não contempla cadeiras, os assentos continuariam como sempre foram, bastaria ler o edital, que é público, para ficar ciente disso. Entretanto, uma quantidade de cadeiras que vieram em tamanho inadequado e foram substituídas pelo fornecedor, estavam empilhadas no Carneirão. Alguém, ainda não consegui saber quem foi, teve a feliz ideia de usá-las no terminal para oferecer mais conforto, sobretudo aos idosos. A SECET autorizou, como não poderia deixar de fazê-lo e como o fará para outro local que as requisitou, onde prestarão bom serviço SEM NENHUM CUSTO PARA A PREFEITURA.

Em entrevista concedida ao nosso jornal, em 18/09, André Luiz, titular da SECIN explicou detalhadamente o que seria feito no trabalho de requalificação do Terminal de Coletivos:

Sobre a obra de requalificação do Terminal Urbano, que está sendo executada em parceria com a Secretaria de Serviços Públicos (SESEP), André informou que será feita a troca de telhado, pintura e recuperação do piso da plataforma de transbordo, além da recuperação da pavimentação. “Estamos estudando também a retirada daquele asfalto, que com o óleo automotivo e trânsito dos ônibus acaba estragando rápido, não tem durabilidade”, comentou o secretário. “Vamos fazer uma pavimentação de baias de ônibus em concreto, com a espessura adequada, completou. Questionado sobre o ritmo das obras, nos garantiu que irá intensificar a fiscalização para acelerar as obras garantindo que o tumulto no trânsito chegue rápido ao fim.

http://www.suacidadeemrevista.com.br/secretario-andre-luiz-concede-entrevista-radio-e-ao-nosso-jornal/

Por isso lembrei de Umberto Eco. E, para aqueles que tanto nos cobraram, aí está o nosso pronunciamento.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here