Nova forma de consumo influencia na abertura de contas em bancos digitais

Foto ilustrativa - Internet

Agilidade dos bancos digitais em se adaptar aos novos tempos é diferencial para a adesão dos clientes

As transformações causadas ou aceleradas pela pandemia impactaram na vida financeira dos consumidores, que buscam mais praticidade e tecnologia na hora de ir às compras.

É o que mostra um estudo do Instituto Locomotiva em parceria com a TecBan, no qual 42% dos brasileiros declararam possuir conta em bancos digitais. A quantidade se aproxima dos 49% da população que é cliente de bancos tradicionais ou grandes instituições financeiras.

Antes da pandemia, apenas 24% da população possuía conta em banco, versus 91% atualmente.

31% dos brasileiros possuem conta tanto em bancos digitais quanto nos tradicionais. Apenas 11% contam apenas com os serviços bancários digitais. Deste percentual, 19% é representado pelos jovens de 18 a 29 anos.

O público jovem é, ainda, aquele que mais sabe o que é conta digital: 51% dos respondentes que afirmaram ter contas nesse tipo de banco se encontram nessa faixa etária.

Embora a soberania dos bancos grandes e tradicionais não esteja ameaçada neste momento, o aumento do consumo online e o advento do Open Banking podem mudar o cenário nos próximos anos.

Consumo online e os bancos digitais – O e-commerce brasileiro bateu recorde de vendas no primeiro semestre de 2021 e atingiu a marca de 100 milhões de pedidos.

Foram gastos mais de R$ 53,4 bilhões, um crescimento de 31% em relação ao mesmo período do ano anterior – que já havia sido o maior registrado na história, de acordo com o relatório Webshoppers, elaborado pela Ebit | Nielsen.

Após a experiência da pandemia, o consumidor pegou gosto pela comodidade do comércio eletrônico. Além de estar mais adaptado a essa modalidade, o cliente compra de forma mais recorrente e explora as diversas categorias de produtos.

Nesse sentido, os bancos digitais, que têm DNA mais inovador que seus concorrentes físicos, saem na frente nas facilidades oferecidas para as compras no e-commerce.

O acesso ao cartão de crédito, a implementação dos cartões virtuais, o reforço nas operações de segurança, as transações em live e o acompanhamento financeiro, possibilitado por tecnologias como APIs, nuvem, análise de dados, têm contribuído para o crescimento do setor.

A chegada do Open Banking – O Open Banking é uma iniciativa criada pelo Banco Central que consiste no compartilhamento de informações bancárias entre diferentes instituições financeiras. Dessa forma, será possível oferecer soluções mais ágeis, acessíveis e personalizadas aos clientes.

Os bancos digitais são pioneiros na inovação, e estão atentos às possibilidades que o novo ecossistema vai trazer.

Quando a implementação do Open Banking estiver concluída no país, com o compartilhamento de informações, o e-commerce poderá, por exemplo, evitar fraudes bancárias, oferecer novos meios de pagamento e aprimorar a experiência do consumidor.

A primeira novidade trazida pelo ecossistema aberto é o Pix, uma forma instantânea e sem custos de transferência de valores entre contas bancárias.

A opção foi adotada como forma de pagamento pelos e-commerces, permitindo que clientes que não são adeptos a cartões de crédito e que não podem aguardar a compensação dos boletos, concluam suas compras online.

Maria Gabriela Ortiz | br.hedgehogdigital.co.uk

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here