Os 4 erros mais comuns nos currículos, segundo ex-diretor do RH do Google

0
165

Mais de 20 mil currículos passaram pelas mãos de Lazlo Bock quando era responsável pela gestão de pessoas do Google; aqui, ele revela os equívocos mais recorrentes dos candidatos.

Laszlo Bock, atual CEO e cofundador da Humu, consultoria para transformação organizacional nas empresas, já enviou muitos currículos ao longo de sua carreira. Durante os 15 anos em que esteve no Google como vice-presidente de gestão de pessoas, ele analisou mais de 20 mil candidaturas. A experiência fez com que tivesse uma visão única sobre como deve ser o currículo ideal.

Apesar de ter encontrado muitos currículos brilhantes ao longo da carreira, o ex-diretor de RH do Google conta que, muitas vezes, viu pequenos erros prejudicarem bons candidatos, que perderam a chance de conquistar bons empregos. Confira uma lista com os 4 erros comuns que você deve evitar para conseguir a vaga dos sonhos.

1. Falta de formatação – Manter a formatação limpa e organizada é o primeiro passo para um currículo de qualidade, segundo Bock. Afinal, um texto bagunçado e ilegível não vai levar você a lugar algum, certo? Por isso, use tinta preta em papel branco, com margens de 1,5 centímetro. Cuide para que o documento tenha colunas alinhadas e um espaçamento padrão. Além disso, verifique se o seu nome e informações de contato estão em todas as páginas, não apenas na primeira. Na hora de enviar o currículo por e-mail, salve-o em PDF para manter sua formatação original.

2. Informações confidenciais – Evite criar conflito entre as necessidades do empregador e as suas necessidades como candidato, diz o ex-executivo do Google. Se o seu último trabalho foi em uma consultoria, por exemplo, é provável que você não tenha permissão para compartilhar nomes de clientes. Portanto, não coloque esse tipo de informação no currículo. E, mesmo não citando nomes com todas as letras, evite passar características muito óbvias e acabar revelando alguma informação que deveria ser confidencial.

3. Currículos extensos – Para Bock, uma boa regra é reservar uma página de currículo para cada 10 anos de experiência de trabalho. Laszlo também lembra que a razão pela qual você apresenta um currículo é para conseguir uma entrevista, não para ser contratado imediatamente. “Uma vez que você seja selecionado para a entrevista, o currículo perde a importância. Então reduza o texto”, afirma Bock. Faça um currículo objetivo, priorizando as informações mais importantes.

4. Mentiras – O hábito de mentir no currículo é tão comum quanto você imagina. Bock já viu de tudo: desde de experiências de trabalho inventadas até diplomas universitários falsos e resultados de vendas que nunca existiram. Os riscos são enormes. Além de enfrentar consequências por passar informações falsas, faltar com a verdade é antiético. “Mentir no currículo nunca vale a pena. Todos, incluindo CEOs, podem ser demitidos por isso”, diz Laszlo.

 

Fonte: Revista Época/Globo

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here