Papa intervém no grupo brasileiro ultraortodoxo Arautos do Evangelho

0
189

O papa Francisco interveio nos Arautos do Evangelho, um grupo brasileiro ultraortodoxo que é tido uma dissidência da (TFP) Tradição, Família e Propriedade, da extrema-direita católica.

A informação foi divulgada no dia 28 de setembro de 2019 pela Congregação para os Institutos de Vida Consagrada, presidida pelo cardeal brasileiro João Braz de Aviz.

A intervenção foi mencionada pela congregação como decorrência de “problemas administrativos e pastorais”, mas a verdadeira causa é conspiração contra Francisco.

Em junho de 2017, o jornal italiano La Stampa publicou um vídeo onde o monsenhor João Scognamiglio Clá Dias (foto), então chefe dos Arautos, afirma a integrantes do grupo que Satã lhe dissera ter o controle do papa.

De acordo com o vídeo, Dias disse ter recebido uma comunicação por escrito de Satã afirmando que  “o Vaticano é meu, meu”.

“O papa faz o que eu quiser, ele é estúpido! Ele me obedece em tudo. Ele é a minha glória, ele está disposto a fazer tudo por mim, ele me serve”, escreveu o Satã ao chefe dos Arautos, sempre segundo o vídeo.

O monsenhor Dias disse que Satã sabia “que o papa vai morrer”.

Após o vazamento do vídeo, Clá Dias pediu demissão da direção do Arautos do Evangelho.

O grupo recorreu à Justiça ou à notificação extrajudicial para que as reproduções do vídeo fossem retiradas da internet.

Naquele mesmo ano, funcionários do Vaticano fizeram uma “visita apostólica” aos Arautos do Evangelho e às suas duas sociedades de vida consagrada, uma masculina (Virgo Flos Carmeli) e outra feminina (Regina Virginum).

Os Arautos se vestem como cavaleiros medievais, das cruzadas. Usam batina marrom e branca com uma grande cruz no peito.

Fanáticos, veneram Nossa Senhora de Fátima e o conservador Plínio Correia de Oliveira (1908-1995).

O grupo é acusado de fazer exorcismo sem autorização da Igreja e lavagem cerebral em jovens.
Papa nomeou o arcebispo emérito de Aparecida, cardeal Raymundo Damasceno, como interventor no Arautos, que terá a assessoria de dom José Aparecido Gonçalves de Almeida, bispo auxiliar de Brasília, e da freira Márian Ambrósio, superior geral das Irmãs da Divina Providência.
Com informação do Vaticano, do arquivo deste site e das agências, com foto de divulgação.
Fonte: Jornal A Tarde

 

Fonte: Jornal A Tarde

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here