“Para recriar a escola é preciso repensar a Educação Integral”, afirma Pilar Lacerda, durante live promovida pela Secretaria da Educação

Foto: Divulgação

Os conceitos, as premissas, os desafios e as possibilidades da Educação Integral deram o tom na live de lançamento da Formação em Fundamentos e Práticas da Educação Integral, promovida pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, por meio da Coordenação Especial de Projetos Estratégicos da Educação (CEPEE) e do Instituto Anísio Teixeira (IAT). A atividade, que foi aberta com a poesia da estudante Camila Anunciação, do Colégio Estadual  de Tempo Integral Juiz Jorge de Farias, de Feira de Santana, contou com a participação do secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues, e a palestra da diretora da Fundação SM, Maria do Pilar Lacerda.

“A única possibilidade que nós temos de recriar a escola, principalmente na pós-pandemia, é recriá-la inspirados no princípios da Educação Integral, que tem Anísio Teixeira como um marco”, afirmou a educadora Maria do Pilar Lacerda. Ela lembra que as escolas devem ser espaços de transformação. “A escola não é um local de distribuição de renda ou de acabar com as desigualdades, mas ela pode contribuir, e muito, pensando num projeto de Educação Integral que reconheça as desigualdades”, completou.

Emocionado com a poesia da estudante, o secretário Jerônimo Rodrigues agradeceu a presença de Pilar Lacerda. “É uma educadora que qualifica a nossa formação”.  Jerônimo também pontuou a importância da formação. “É uma ação que tem objetividade, tem intencionalidade. É uma das estratégias para melhorarmos o cuidado, o zelo com nossos estudantes e o fortalecimento de suas aprendizagens. Esta é a nossa motivação. Buscar a qualificação e a troca de experiência entre nossas unidades escolares”, disse.

A Formação em Fundamentos e Práticas da Educação Integral será realizada de forma virtual, no ambiente de aprendizagem da Plataforma Anísio Teixeira.  Segundo a diretora geral do IAT, Cybele Amado de Oliveira, a educação deve ser “integral, integrada e integradora”, colocou a gestora, que ainda leu um trecho do livro “Educação não é privilégio”, do educador baiano Anísio Teixeira.

A diretora geral da Associação Cidade Escola Aprendiz, Natacha Costa, também fez referência a Anísio Teixeira. “Trabalhar a pauta da Educação Integral na Bahia é muito bom. A Bahia é o berço de Anísio, que sempre pensou a formação integral como compromisso, uma escola e uma educação que pensam a formação dos estudantes em sua integralidade, articulada com a cidade, com sua comunidade”, comemorou.

À frente da CEPEE, o superintendente Marcius Gomes informou que mais de 700 educadores estão inscritos para a formação. “Esta pauta vem sendo construída há três meses e nos preocupamos em fazer uma escuta com todas as unidades escolares de tempo integral da Bahia”, informou. Para o gestor, “pensar na política de Educação Integral é levar para os meninos e as meninas possibilidades formativas para além do espaço parcial”.

A Formação Continuada em Educação Integral terá carga horária de 72 horas, distribuídas em quatro módulos, no período de outubro/2020 a março/2021, com o objetivo de discutir a concepção de Educação Integral na perspectiva de orientar a política educacional, no contexto das redes e das escolas, e apoiar a reorganização curricular das escolas de tempo integral, com vistas na garantia de acesso e qualidade da educação para todos os estudantes.

 

Fonte: Secretaria da Educação do Estado da Bahia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here