Polícia prende mais um acusado de matar estudante da UFRJ sequestrado na Urca

O corpo de Marcos Winícius Tomé Coelho, de 20 anos, foi encontrado nesta segunda-feira, dia 12 Foto: Reprodução / Redes sociais

A Polícia Civil prendeu neste domingo Denner Dias Barcia Alves, acusado de ser um dos autores do homicídio do estudante da UFRJ Marcos Winícius Tomé Coelho de Lima, de 20 anos, em outubro deste ano. Marcos Winícius foi encontrado morto em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, após ser sequestrado na Urca, Zona Sul do Rio.

De acordo com a Polícia Civil, investigadores obtiveram a informação de que Denner estava escondido em um imóvel na Avenida Epitácio Pessoa, na Lagoa, Zona Sul do Rio. Os agentes fizeram um cerco no local nesta manhã. A namorada do acusado, Bruna Alencar, estava no imóvel. Ela teria demorado para abrir a porta, alegando haver cachorros na residência.

Quando os policiais entraram no apartamento, notaram haver um quarto com o duto do ar-condicionado e o aparelho fora do lugar. Eles desconfiaram que Denner havia fugido pelo vão. Após cerca de uma hora de buscas pelo condomínio, ele foi encontrado na sala de máquinas do elevador do prédio. Estava com uma mochila com nove tabletes de maconha. No imóvel, havia munições de revólver, balanças de precisão para pesagem de drogas e coldres para armas de fogo.

A ação foi realizada por agentes da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) e da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF). Denner e Bruna foram encaminhados para a DHBF, onde será formalizado o cumprimento do mandado de prisão temporária do autor do homicídio. Além disso, ele será autuado por tráfico de drogas.

Investigação: Imagens de câmeras de segurança revelam o momento em que Marcos Winícius foi sequestrado ao chegar na Urca. As cenas dos últimos momentos de vida do estudante mostram o rapaz pedalando, quando um carro branco surge na contramão e atinge a bicicleta elétrica da vítima. Com o impacto, Marcos cai no chão. Bandidos armados descem do automóvel e o colocam no interior do veículo, que, com a cobertura de uma caminhonete, deixa o local. As câmeras mostram ainda que cinco pessoas presenciaram o crime, correndo apavoradas, na direção oposta à tomada pelos bandidos.

Investigações da DHBF revelam que, entre uma e duas semanas antes de ser executado, o estudante teria participado de uma negociação para a encomenda de uma carga de skank, avaliada em R$ 80 mil. Quando a droga ia ser entregue, em Copacabana, homens de uma outra quadrilha assaltaram o traficante que faria a entrega, e levaram a mercadoria transportada. A Polícia Civil investiga a participação de policiais militares nesse bando. Conhecido como boteiros (dão um bote para se apropriar da carga), o grupo age em Botafogo, Copacabana, Ipanema, Leblon, Barra e Recreio.

Além de Denner, a DHBF já prendeu outro envolvido no crime na semana passada. A polícia ainda procura por Igor Moreira Dantas e Victor Hugo dos Santos Moraes, que também estariam no carro branco que atropelou e raptou o rapaz. Eles são considerados foragidos da Justiça. Há ainda outros dois suspeitos, mantidos sob sigilo.

 

Fonte: Extra Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here