‘Política não se faz de cima do muro’, condena Jerônimo em Feira de Santana

“O ex-prefeito [de Salvador] não tem coragem de assumir o seu candidato [a presidente da República]. Está com medo ou tem interesses, mas não podemos fazer política de cima do muro. A sociedade sempre exigiu saber quem está com quem. O ex-ministro [João Roma] teve a coragem de assumir que é do presidente. Em 2018, o ex-prefeito assumiu que era bolsonarista. Dá para esconder agora? Quem é que indica os cargos do Governo Federal na Bahia?”, questionou o pré-candidato a governador do Estado pelo PT, Jerônimo Rodrigues, durante entrevista, nesta terça-feira (17), em Feira de Santana.

Sobre a inevitável influência da disputa nacional nas eleições estaduais deste ano, o pré-postulando petista afirmou que a disputa de um projeto é o que estará em jogo. “Cuidado com os oportunistas de plantão, muitas vezes novo na idade, mas arcaico, velho na forma de fazer política. O ex-presidente Lula foi tratado duas vezes de forma desrespeitosa, ameaçado com uma surra e, agora, já na pré-campanha, chamado de ‘muleta’. A política não é um espaço para agredir as pessoas. Nós não vamos entrar nessa. Vamos disputar é projeto, porque quem não respeita o adversário não vai respeitar a população hora nenhuma”, alertou Jerônimo, que participa de encontro do time de Lula na Bahia com movimentos sociais do campo.

Neste final de semana, o senador Otto Alencar (PSD), em Guanambi, cobrou a apresentação da “carteira de identidade” dos candidatos que pretendem disputar o governo do Estado, e defendeu que “candidato que não tem carteira de identidade não merece apresentar projeto de governo para governar um estado da dimensão da Bahia”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here