Porto Alegre – Polícia tenta identificar veículo usado em assassinato de líder de facção criminosa

Deporte foi executado à luz do dia, na Capital

Gustavo da Silva Deporte, o Queimado, de 46 anos, foi morto na tarde deste domingo em praça do bairro Jardim Itú.

A equipe da 5ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga a execução em uma praça da zona norte de Porto Alegre, na tarde deste domingo (11). Gustavo da Silva Deporte, 46 anos, o Queimado, apontado pela Polícia Civil como um dos líderes de uma facção criminosa, foi morto na praça Lino Augusto Schiefferdecker, no bairro Jardim Itú. Foram pelo menos 10 tiros de pistola calibre 9 milímetros.

O autor dos disparos chegou ao local em um veículo branco. O carro é um Sedan, de modelo ainda desconhecido. Os policiais buscam identificar e localizar o paradeiro do automóvel.  Segundo o delegado Gabriel Bicca, da 5ª DHPP, pelo menos dois criminosos participaram da ação. Isso porque o atirador estava na carona — ele teria desembarcado e alvejado a vítima.

No momento dos disparos, Queimado estava acompanhado de uma criança de cinco anos, com quem passeava pelo local. Ele teria soltado a mão da menina, que correu e foi acudida por uma moradora.

Queimado tentou se abrigar no interior da praça, mas foi atingido por pelo menos seis tiros. Havia mais pessoas na praça no momento do crime, que aconteceu por volta das 15h. A câmera de segurança de um prédio próximo à praça registrou parte da execução.

— Estamos atrás de testemunhas e câmeras de monitoramento — informou o delegado Bicca.

Histórico   – Queimado atualmente estava sendo monitorado com tornozeleira eletrônica. Em fevereiro do ano passado, quando estava foragido, ele foi preso no bairro Santana, após horas de buscas. Ele havia rompido a tornozeleira e foi localizado escondido no sótão de uma casa. A prisão foi realizada pela equipe da Delegacia de Capturas do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Em 2017, Queimado foi preso também pelo Deic, quando deixou a Argentina, onde vivia, para conferir a reforma de um apartamento que havia comprado em Matinhos, no litoral do Paraná. Ele ficou preso em regime fechado até conseguir progressão de regime e passou a usar tornozeleira eletrônica.

Segundo o delegado Arthur Raldi, da Delegacia de Capturas, Queimado fazia parte do núcleo de liderança da facção criminosa com berço na zona norte de Porto Alegre.

 

Fonte: GZH

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here