Prefeitura aperta o cerco contra a realização de eventos no Ano-Novo

Foto: Divulgação

Dar um mergulho no mar na primeira hora de um novo ano é uma tradição cultivada pela jornalista Litiane Oliveira, 41 anos, desde os 16. Este ano, mesmo morando a poucos metros da praia, ela não poderá manter seu ritual particular, pois toda a orla da Barra estará totalmente interditada. A chegada de 2021 encontrará as praças Cairu, Castro Alves e Municipal inacessíveis, e não contará com eventos festivos, tudo para evitar aglomerações e conter a transmissão da Covid-19.

De acordo com o diretor da Guarda Civil Municipal (GCM), Maurício Lima, o acesso à praia e aos calçadões será vetado a visitantes e moradores no trecho entre o antigo Clube Espanhol e o Porto da Barra. O acesso de veículos será controlado pela Transalvador, sendo permitido apenas para moradores. Ele explica que gradis serão usados para bloquear o acesso à orla a partir das 17 horas, e as praias estarão fechadas com tapumes.

Gaúcha radicada em Salvador, Litiane conta que lamenta não poder tomar o banho de mar logo após felicitar amigos, como fez ano passado, no Porto da Barra, mas considera a medida necessária. “A gente até estava preocupada, no sentido de achar que podia ficar muito cheio por aqui. Mesmo que a gente nem vá descer, se precisa ir mais cedo buscar alguma coisa na rua já podia encontrar aquele tumulto”, comenta a jornalista, que mora com a mãe, de 71 anos.

Por conta da queima de fogos que será realizada no Terminal Marítimo, os pontos de observação considerados mais atrativos também serão fechados: as praças Cairu, Castro Alves e Municipal. Lima acrescenta que nos demais locais com queima de fogos, não divulgados pela prefeitura, a Guarda também estará presente, de forma a poder orientar a população caso ocorram aglomerações.

A GCM integra a força-tarefa coordenada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), que atuará diretamente na fiscalização de estabelecimentos. Na orla da Barra, nenhum bar ou restaurante poderá funcionar após o fechamento dos acessos, explica o titular da pasta, Sérgio Guanabara.

O secretário ressalta que além da Barra e das praças citadas pela GCM, a força-tarefa terá cerca de 500 pessoas atuando em toda a orla e também na região do subúrbio. Nos bairros do Rio Vermelho e Itapuã, onde bares estão proibidos de vender bebidas para pessoas que estejam em pé até o dia 31, haverá a fiscalização do cumprimento desse decreto, que permite o funcionamento dos estabelecimentos até a meia-noite.

Integrantes da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) também integram o grupo, que vem atuando nos últimos meses na promoção do respeito às regras de controle da pandemia, ressalta Guanabara. De forma específica, a Semop vai atuar para coibir a presença de ambulantes nas áreas bloqueadas e também que realizem a venda de bebidas no Rio Vermelho e Itapuã, evitando “eventos” espontâneos que estavam gerando aglomerações nas calçadas e ruas.

Estado – Em decreto válido até o dia 4 de janeiro de 2021, o governo estadual proibiu a realização de shows e festas, públicas ou privadas, com qualquer número de participantes. Em vídeo postado em suas redes sociais e também exibido em emissoras de TV, o governador Rui Costa afirma: “já determinei às nossas forças policiais o máximo de rigor para impedir a realização de festas, na capital e no interior”.

Procurada por A TARDE para fornecer mais informações sobre a estratégia de atuação na noite da virada, a Polícia Militar (PM) não deu retorno até o fechamento dessa reportagem.

De acordo com Sérgio Guanabara, a Sedur está em contato permanente com o setor de inteligência da PM e conjuntamente estão buscando identificar possíveis festas clandestinas que estejam sendo divulgadas em redes sociais e aplicativos de mensagens, para impedir a realização.

 

Fonte: Jornal A Tarde

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here