Presidente da UPB sugere que festas e eventos para os próximos meses sejam cancelados.

0
55

O presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro, sugeriu que festas e eventos a serem realizados nos próximos meses sejam cancelados. Na opinião do representante da UPB, a decisão deve se estender até as festas juninas, devido ao risco de proliferação do novo Coronavírus. De acordo com Eures, a medida é de precaução.

“Nós temos que fazer o dever de casa. Eu mesmo já cancelei a festa de São Pedro, porque não é hora de aglomerar pessoas. É hora de cortes de gastos”, declarou Eures Ribeiro, que é prefeito de Bom Jesus da Lapa e integra a direção da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). O gestor acrescentou que os cancelamentos de eventos “serão necessários diante do cenário de recessão econômica, que deve abater a economia como um todo e impactar nos municípios”.

Além disso, destacou Eudes, há município que vai ter que contratar mais médicos e outros profissionais de Saúde, caso a situação se agrave. “É um momento muito delicado e que requer de nós uma missão que o povo nos deu, que é liderar os munícipes”.

Diante do momento que exige concentração do poder público e medidas urgentes para quebrar o ciclo de transmissão do vírus, a UPB orienta os municípios que implementem as seguintes ações, inclusive com determinações por meio de decreto.

Confira as orientações:

1 – Avaliar a necessidade de suspensão das aulas, com as particularidades de cada município e região, considerando que o Governo do Estado já suspendeu as aulas da rede estadual de ensino nos municípios de Feira de Santana, Salvador e Porto Seguro, onde foram confirmados casos do Coronavírus;

2 – Reforçar a higienização especial para todos os transportes públicos na Bahia, sejam eles transporte escolar, municipal, intermunicipal, interestadual, independente de serem privados ou públicos;

3 – Remanejar as equipes de funcionários das prefeituras, liberando para que os servidores a cima de 60 anos, grávidas, doentes crônicos ou em tratamento de câncer, passem a trabalhar de suas residências. Já no caso dos profissionais de saúde, suspender e reprogramar férias e licença-prêmio para darem apoio total às medidas impostas;

4 – Criar comitê gestor local, com agentes comunitários, médicos e técnicos de saúde para capacitação, coleta de dados, divulgação de ações de prevenção e atendimento via serviço de call center para esclarecer dúvidas e acompanhar suspeitas de casos;

5 – Orientar o isolamento por 7 dias de todas as pessoas que chegam de viagens internacionais, mesmo sem sintomas;

6 – Autoridades públicas utilizarem os meios de comunicação local (rádios, sites e TVs) para informar e orientar a população sobre medidas de higiene e prevenção do vírus;

7 – Evitar que haja nos municípios aglomerações e determinar por meio de decreto a proibição da realização de eventos que reúnam mais de 50 (cinquenta) pessoas, ainda que previamente autorizados, sejam eles desportivos, religiosos, políticos ou cultural, tais como: vaquejadas, cavalgadas, feiras, shows, circos, eventos científicos, romarias, festa de padroeiro, aniversário da cidade, micaretas, passeatas e afins;

8 – Instalação de equipamentos com álcool em gel em serviços públicos e privados. Estimular que as pessoas lavem as mãos com água e sabão, que é tão eficaz quanto álcool em gel, além de disponibilizar toalhas de papel;

9 – Orientar que a população com síndrome gripal só procure o serviço de saúde se o quadro se agravar, apresentando sintomas como febre e falta de ar. Caso os sintomas sejam apenas gripais, informar as autoridades locais por meio de telefone e se manter em isolamento por no mínimo 14 dias;

10 – Utilizar nas rodoviárias, aeroportos municipais e entroncamentos o termômetro digital capaz de medir a temperatura corpórea à distância e identificar se a pessoa apresenta temperatura elevada, proibindo a entrada no município de pessoas com febre e informando a situação às autoridades de saúde;

11 – Suspender recadastramento de serviços municipais e reforçar a informação de que o INSS vai suspender a exigência da prova de vida dos beneficiários para evitar ida às agências bancárias;

12 – Criar medidas preventivas de contingenciamento financeiro, prevendo a queda de arrecadação diante da desaceleração econômica mundial;

13 – Manter atenção constante aos comunicados da UPB, SESAB, Ministério da Saúde, governos Federal e Estadual e Organização Mundial da Saúde (OMS) para orientar a população de forma adequada sem criar pânico;

14 – Reportar as suspeitas de casos do Coronavírus ao Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES), estruturado pelo Governo do Estado da Bahia, através dos telefones (71) 3116-0039 / 99971-7704.

 

Fonte: Jornal A Tarde

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here