Presidente do Atlético de Alagoinhas quer construir CT até o final do mandato

Foto: Glauber Guerra / Bahia Notícias

O presidente do Atlético de Alagoinhas, Albino Leite, foi o entrevistado da noite desta quinta-feira (20) no programa BN na Bola, da rádio Salvador FM 92.3. O dirigente revelou que quer um centro de treinamento do clube antes do final do seu mandato que termina em 2022.

“Estamos ainda em trâmite de uma venda de um grande terreno nosso. Espero que daqui a uns 60 dias conclua essa venda próximo, porque nesse ano quero meter mão no nosso centro de treinamento. Temos 50 anos de existência, mas não temos uma casa. Isso não existe. temos de fazer a nossa casa, nosso centro de treinamento. Antes de eu sair, meu mandato tem mais um ano, enquanto estiver aqui, minha ideia é assegurar o título e construir nosso centro de treinamento”, declarou.

Pelo segundo ano consecutivo, o Carcará vai decidir o título estadual. O clube já foi vice-campeão em duas ocasiões. O adversário dessa vez é o Bahia de Feira. O primeiro jogo aconteceu no Carneirão e terminou empatado em 2 a 2. A decisão será no próximo domingo (23), às 16h, na Arena Cajueiro e quem vencer fica com a taça. Uma nova igualdade no placar leva a disputa para os pênaltis. No entanto, desta vez, Albino Leite está esperançoso na conquista devido a ‘sorte’ que a equipe está tendo nessa reta final.

 

“Ninguém é campeão sozinho e precisa de um fator importantíssimo que é a sorte. A sorte está do lado do Atlético. Em Juazeiro, se não tivéssemos a vantagem devido ao bandeirinha, nós poderíamos estar fora. Então, nós passamos através das penalidades. E tem mais, no dia do jogo, eu tinha conversado com nosso paredão, o nosso goleiro. Ele estava sofrendo alguns problemas, preocupado com a filha que estava doente. E eu conversando com ele: “Foque, já está controlado com ela. Agora foque na sua posição, é o momento. Preste bem atenção, um dia eu vou embora, mas você vai ficar, você é um profissional, então busque essa essência que está dentro da sua alma. Se formos para os pênaltis, você vai fazer a diferença”. Meu amigo, não deu outra e ele começou a brilhar na disputa de pênaltis. Quando foi agora no Carneirão, nós perdemos dois jogadores importantes logo no início, o Radar e o Miller, que provavelmente estão voltando domingo. O Bahia de Feira faz o gol aos 56 minutos do segundo tempo e nós fizemos aos 57, com Ronan, um garoto simples de Ribeirinha, do Alto Amazonas. E os outros também estão bem, estão brilhando no papel deles. No ano passado, nós tínhamos Magno Alves que veio e trabalhou muito mais fora das quatro linhas. Ele é pastor, mas fez um trabalho fundamental junto com a equipe. Mas no ano passado não conseguimos o objetivo”, disse.

Fonte: Bahia Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here