Quando CPI vira brincadeira na Câmara Municipal de Alagoinhas

As últimas sessões da Câmara Municipal de Alagoinhas remeteram a antigas brincadeiras de criança.  A bancada de oposição, recém formalizada, pediu criação de CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar e apurar responsabilidades pelo superfaturamento de serviços de transporte escolar nos anos de 2017 e 2018. Ou seja, muito tímida em relação às investigações da CGU e Policia Federal que, pelo menos há mais de um ano, vem fazendo isso com muito mais amplitude, vez que começa em 2009 e vem até a presente data, ressalte-se que com recursos muito maiores do que poderia ter uma CPI na Câmara Municipal. Em represália, a bancada governista resolveu pedir a criação de uma CPI para chamar de sua, investigando a SMTT – Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito, no período de 2009 a 2018. Dois vereadores da oposição assinaram o pedido, o que deixou o vereador Anderson Baqueiro, ex superintendente da SMTT, preocupado e indignado. Não satisfeitos, os governistas deram entrada em mais um pedido de CPI, dessa vez sobre as obras do Silva Jardim, com o intuito de encerrar as possibilidades de surgirem outras durante o ano de 2018. Aceso o sinal de alerta na campanha de um dos candidatos a deputado estadual, ligações telefônicas foram feitas, assinaturas foram retiradas e onde haviam três, já não há mais nenhuma. De quebra, a frágil bancada de oposição rachou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here