Raul Jungmann: “É hora de reagir, antes que seja tarde”

Raul Jungmann, que foi ministro da Defesa na gestão Michel Temer, foi ao Twitter lamentar a decisão de não punir o general Eduardo Pazuello

Ex-ministro da Defesa entre maio de 2016 e fevereiro de 2018, na gestão do então presidente Michel Temer (MDB), Raul Jungmann publicou no Twitter, na noite desta quinta-feira (3/6), um alerta sobre a decisão do Exército de não punir o general Eduardo Pazuello pela participação em ato político com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Rio de Janeiro, em 23 de maio.

Para o ex-deputado federal, o arquivamento do procedimento disciplinar contra Pazuello foi uma “capitulação” do comandante do Exército, general Paulo Sérgio, e “não honra” os ex-comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, “que não se dobraram ao presidente”.

Jungmann faz referência à queda dos três oficiais, em 30 de março. A demissão dos então comandantes do Exército, general Edson Pujol; da Marinha, almirante Ilques Barbosa Junior; e da Aeronáutica, brigadeiro Antônio Carlos Moretti Bermudez, ocorreu logo após Bolsonaro demitir o então ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, depois de intensa pressão para que ele desse sinais de apoio político explícito ao presidente.

Confira a reportagem completa no Metrópoles.

Via: Brasil247

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here