Saeb institui ações de enfrentamento ao coronavírus no Centro Administrativo da Bahia

Ações integram trabalho da Superintendência de Patrimônio durante a pandemia.

A área urbana e de circulação de pessoas pertencentes ao Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, passaram a contar com critérios mais rigorosos de higienização. A ação, iniciada no mês de março, estabeleceu a desinfecção periódica de abrigos, estacionamentos, rampas de acesso e caixa coletoras de resíduos, além da higienização dos ônibus circulares e limpeza de ruas, avenidas e rótulas.
Com a medida, o acesso às estações do metrô CAB e Pituaçu, bem como abrigos de ônibus, rampas e estacionamentos das plataformas onde é registrado maior fluxo de pessoas, estão sendo higienizados diariamente. Os demais espaços também contam com limpeza rigorosa, realizada a cada três dias. A assepsia é feita com a utilização de pulverizadores costais com hipoclorito de sódio. Ao todo, o Centro possui 27 abrigos e cinco plataformas onde se localizam prédios de órgãos estaduais.
Os ônibus circulares que fazem a ligação do CAB às estações de metrô também estão sendo higienizados regularmente com líquido sanitizante, com foco nos acentos, apoios de braço e barras. As ruas, avenidas e rótulas estão sendo varridas com umedecimento para evitar a propagação do vírus e as 26 caixas coletoras de resíduos do CAB estão sendo lavadas e pintadas.
De acordo com a Diretoria de Edificações da Superintendência de Patrimônio (Supat), ligada à Secretaria da Administração (Saeb), os critérios para a ação foram traçados a partir de informações técnicas fornecidas pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária (ABES).
Coleta de resíduos – De acordo com o superintendente de Patrimônio da Secretaria da Administração, José Anísio Leal Costa Neto, a cooperação com a ABES auxiliou na elaboração das diretrizes para procedimentos de limpeza urbana, mas, também, para a coleta de rejeitos comuns e para coleta seletiva no CAB. “Diante da gravidade desta pandemia do coronavírus, e da necessidade de reduzir a velocidade de circulação do vírus, esta ação se tornou de grande importância às nossas diretorias”, afirmou.
Com isso, foi suspensa temporariamente a coleta de resíduos recicláveis, por motivos de segurança dos catadores em função do período de permanência do vírus em superfícies. Para a coleta de resíduos, está sendo elaborado um plano com procedimentos mais seguros, visando tanto a coleta convencional quanto a seletiva. O documento será encaminhado às Diretorias Administrativas e Coordenação de Serviços Gerais dos órgãos e entidades públicas estaduais e federais localizadas no CAB e atendidas pelo Programa Recicle Já Bahia.
Entre as ações está o levantamento de dados relativos aos catadores de recicláveis membros das cooperativas do Recicle Já, encaminhados aos órgãos estaduais que empreendem ações sociais, como as Voluntárias Sociais da Bahia e as secretarias do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) e do Meio Ambiente (Sema). Só para se ter uma ideia, o Recicle Já conta com 28 cooperativas cadastradas e mais de 700 catadores vinculados.

 

Fonte: Saeb – Secretaria da Administração do Estado da Bahia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here