Secretário Walter Pinheiro destaca importância da nova rodoviária em Águas Claras

Presente ao ato de assinatura do contrato para a construção da nova Estação Rodoviária de Salvador, no bairro de Águas Claras, nesta terça-feira (03), o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro, ressaltou a importância deste novo empreendimento como um vetor de desenvolvimento da capital. O contrato foi assinado pelo governador Rui Costa e representantes do Consórcio Terminal Rodoviário de Salvador. A obra do novo terminal terá um investimento de R$ 120 milhões.

“Fizemos uma proposta da nova rodoviária lá em Águas Claras em 2009, então hoje, na realidade, além de ser algo extremamente ajustado com o metrô, cujo tramo 3 vai chegar até o local, a rodoviária já começa a dialogar com a Avenida 29 de Março, que está ficando pronta, só faltando um pequeno pedaço, que é o que liga de Piatã até a Base Naval, então teremos a rodoviária na beira da BR-324, na entrada da cidade, criando todas as condições para levar, efetivamente, um outro movimento naquele lado da cidade. Portanto, é o governador Rui Costa mexendo na estrutura, facilitando a vida dos baianos com um novo e moderno sistema de transporte e projetando uma cidade muito melhor para o futuro”, disse Pinheiro.

A obra deve durar 30 meses e a empresa terá o prazo de seis meses para elaboração do projeto arquitetônico e executivo e obtenção de licenças e alvarás para o início das obras. A expectativa do Governo do Estado é de receber as três sugestões de projetos arquitetônicos no dia 28 de janeiro de 2020.

O secretário também destacou que além de representar um novo vetor de desenvolvimento, o empreendimento nesta nova localização vai contribuir, ainda, para desafogar o trânsito na região do Iguatemi. “Vamos integrar a região metropolitana, resolver o problema do centro da cidade e criar outra sinergia no modal de transporte, integrado ao metrô, fazendo a expansão das áreas de desenvolvimento na capital. O Iguatemi virou um verdadeiro cotovelo da cidade, então uma pessoa pra sair de Paripe, por exemplo, da Base Naval, teria que vir até o Iguatemi, pegar o cotovelo e atravessar o outro lado da cidade. Portanto, aquilo se configurou como um grande problema, tanto é que a cidade congestionou nessa região. Antigamente a concentração era no comercio, transferiu-se para a região do Iguatemi, agora, também, é preciso criar outro ambiente para as diversas atividades econômicas em Salvador”, ressaltou Pinheiro.

 

Fonte: Seplan – Governo do Estado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here