Segundo análise do Itaú, brasileiro está viajando, casando e gastando mais

Foto reprodução

Consumo em bares, cinemas e parques, gastos com combustíveis e pedágios e até multas de trânsito voltaram a crescer.

O comportamento do consumidor mudou muito desde o início da pandemia de Covid-19, mas a viagem dos sonhos, os planos de casamento, o happy hour com os amigos e outros projetos que ficaram parados dão indícios de retorno. O consumo em bares, cinemas e parques, os gastos com combustíveis e pedágios e até as multas de trânsito voltaram a crescer.

Essas são algumas das percepções apontadas pelo terceiro relatório de Análise do Comportamento de Consumo do Itaú Unibanco, relativo ao segundo trimestre deste ano. Outros segmentos, como o de viagens e hotelaria, também estão em aquecimento, indicando que o brasileiro está retomando a rotina, ainda que de forma diferente.

O turismo, que teve queda de 90% no faturamento no pior momento da pandemia, está entre os ramos que iniciam um processo de retomada, com crescimento de 257,3% no segundo trimestre de 2021, na comparação com o mesmo período de 2020. As companhias aéreas e o setor hoteleiro, considerando hotéis, motéis e pousadas, foram os que mais se destacaram e registraram um aumento três vezes maior do que no ano anterior, com crescimento de 237,1% e 255,8% respectivamente. Apesar disso, o consumo no setor ainda está abaixo dos patamares pré-pandemia.

Também chama a atenção o setor de casamentos. Se em 2020 os planos dos noivos foram frustrados, em 2021 as pessoas estão saindo do isolamento para o altar. A celebração voltou a ser destaque no segundo trimestre de 2021, mesmo que de forma adaptada às novas condições sanitárias. As agências matrimoniais e buffets tiveram crescimento de 97,4% no faturamento, na comparação com o mesmo intervalo de 2020. Mas, na comparação com 2019, houve queda de 51% – cenário que pode indicar represamento da demanda devido às restrições do isolamento social que ainda vigoram. Com a volta das cerimônias, segmentos como aluguéis de roupa e joalherias foram impactados positivamente e tiveram crescimento de 214,9% e 129,9%, respectivamente.

Mais lazer e bem-estar – Outra mudança no comportamento do consumidor apontada pelo estudo do Itaú Unibanco está relacionada às atividades de bem-estar, como spas, centros estéticos, massagistas e manicure, que tiveram aumento de 90,7% no segundo trimestre, ante igual intervalo de 2020. Os bares tiveram crescimento de 153,5%, sinalizando aceleração do setor.

Destaque também para o segmento de lazer, considerando clubes, cinema, teatro, boliche e sinuca, além de parques e escolas de dança. Nesse setor, houve crescimento de 176,6% no faturamento, no segundo trimestre de 2021, na comparação com igual período de 2020.

Outro segmento que indica retomada é o de locomoção e transporte (transporte de passageiros, postos de combustíveis, recarga de cartões como o Bilhete Único, multas de trânsito, estacionamentos e pedágios), que apresentou aumento de 98,4% no segundo trimestre deste ano, com relação ao ano anterior. Os serviços de mudança tiveram salto de 67,1% – indicando que as pessoas estão buscando residências com mais espaço para um home office mais agradável.

Datas comemorativas – No feriado de Tiradentes, os dados sobre o comportamento do consumidor indicam que as pessoas buscaram mais lazer. O grande destaque foi para o setor de hotéis, motéis e pousadas, com crescimento de 381,5% na comparação com a semana da data no ano anterior, e o aluguel de automóveis, que teve aumento de 142,1%.

No Dia das Mães deste ano, a maioria dos filhos e maridos optou por presentear com itens de docerias e floriculturas. Estes setores viram seu faturamento crescer 126,7% e 64,8%, respectivamente, nas compras realizadas no dia da celebração, em comparação à mesma data do ano anterior.

Já no Dia dos Namorados, que este ano caiu em um sábado, restaurantes apontaram aumento de 142% e lojas de presentes e joalherias um crescimento de 45,6%.

Compras nas lojas físicas – Com o relaxamento das medidas de isolamento social, as compras realizadas fisicamente no segundo trimestre do ano voltaram a crescer e representaram 78,9% das transações, contra 21,1% no online. Na comparação com igual intervalo do ano anterior, houve um crescimento de 47,2% nas compras efetuadas no ambiente físico, e 43,2% no online – em faturamento.

No ambiente físico, os segmentos que apresentaram maior crescimento no segundo trimestre de 2021 foram os atacadistas – com um aumento de 35,4% ante 2020 e lojas de materiais de construção – com elevação de 31,6% na comparação com 2020.

Vestuário e lojas de departamento apontaram recuperação neste período do estudo. Enquanto vestuário teve queda de 67,6% em 2020 ante 2019, na comparação de 2020 com 2021 apresentou crescimento de 162,1%. Por sua vez, as lojas de departamento, que tiveram decréscimo de 33,7% em 2020 com relação a 2019, apontaram aumento de 40,2% na comparação de 2021 ante 2020.

Saúde, bem-estar e pet  – A Análise do Comportamento de Consumo do Itaú Unibanco mostra que, mesmo com a reabertura dos estabelecimentos físicos, as compras online entraram na rotina de muitos brasileiros e se mantêm em um patamar significativo: 21,1% das aquisições foram realizadas nesta modalidade. O valor transacionado no consumo online no segundo trimestre de 2021 teve um crescimento de 43,2%, na comparação com igual período de 2020.

Dentre as compras online, no segundo trimestre de 2021 sobressaem os setores de saúde, bem-estar e veterinários: o crescimento foi de 97,3% na comparação com igual período de 2020. Já em relação ao mesmo intervalo de 2020 ante 2019, o aumento foi de 55,6%. Além de alimentação, que apontou um salto: de 38,2% ante 2020 e de 516,7% na comparação do segundo trimestre de 2020 com mesmo intervalo de 2019.

Ainda no online, outro destaque positivo da análise vai para os segmentos de turismo e transportes, que, apesar de não terem voltado aos patamares pré-pandemia, mostram recuperação. O setor de turismo, que apresentou queda de 85,2% em 2020 ante 2019, apontou crescimento de 269,1% em 2021 com relação ao segundo trimestre de 2020. E o de locomoção e transportes, que teve diminuição de 58,9% em 2020 na comparação com igual período de 2019, mostrou aumento de 92% em 2021 ante 2020.

O crescimento de jovens da geração Z (nascidos entre 2000 e 2010) que adotaram a modalidade online no segundo trimestre de 2021, na comparação com igual período de 2020, foi de 177,3% (54,1% homens; 45,9%, mulheres). Outro destaque foi para a geração X, com aumento de 34% (52,1% mulheres; 47,9% homens). As mulheres foram as que mais se digitalizaram e transacionaram no online, considerando todas as gerações. O aumento mais significativo foi na geração Z: garotas nessa faixa etária aumentaram em 180% os seus gastos no online; e os garotos, 175%.

A Análise do Comportamento de Consumo do Itaú Unibanco reúne dados referentes às compras feitas com cartões emitidos pelo banco e às vendas transacionadas pela Rede, sua empresa de meios de pagamento. O cruzamento e análise dessas informações trazem um retrato do desempenho do comércio, revelando os hábitos mais recorrentes entre os brasileiros como consumidores.

 

Fonte: Mercado & Consumo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here