Seis dicas que ajudam a melhorar a saúde mental e a produtividade nas empresas

Saúde mental

Em live da Herah com a Exame Academy, psiquiatras falaram sobre a importância da saúde mental para todos os aspectos da vida das pessoas.

O tema da saúde mental nunca foi tão mencionado e tratado como importante quanto ultimamente. Os motivos vão desde o aumento nos números de distúrbios psicológicos como ansiedade e depressão até o momento de pandemia que o mundo inteiro passa. A Exame Academy promoveu uma live no Instagram e no YouTube abordando o assunto com a sua devida importância.

O evento contou com a participação dos psiquiatras e sócios da Herah Victor Bigelli e o Guilherme Malaquias. Além da presença na live, os médicos são professores do novo curso da Exame Academy em parceria com a Herah: “Mente em foco: investindo na sua saúde mental para alcançar seu potencial”.

Segundo os professores, para muita gente, falar sobre saúde mental ainda é um tabu e o primeiro passo é quebrar isso. “A pandemia tirou algumas questões debaixo do tapete, mas ainda tem muita coisa para avançar. Quando alguém quer provocar outra pessoa chama de maluco e manda consulta um psiquiatra. Alguém faz isso na Cardiologia! ‘Acho que você é cardiopata, devia procurar um cardiologista!’”, comenta Bigelli.

Durante a pandemia, um dos principais pontos que tirou as pessoas do seu equilíbrio foi a mudança abrupta e sem programação para o home office. “Todos nós temos moderadores de humor, coisas que fazemos para dar felicidade e equilíbrio na vida. É como uma balança e muitas pessoas tinham o contrapeso das responsabilidades fora do ambiente de casa e familiar, essas pessoas sofreram mais. Já quem tinha os contrapesos dentro de casa, sofreram menos”, explica Malaquias.

Os especialistas listaram as seis habilidades necessárias que as pessoas precisam desenvolver para melhorar a saúde mental. São elas:

1. Agir honestamente – Hoje muito se fala sobre a importância do comportamento ético. Quem age honestamente e sabe reconhecer o valor da equipe e dos outros, consegue um progresso de longo prazo nas empresa. “Já quem é maquiavélico (fica manipulando as pessoas) e narcisista (acha que o mérito é todo e só dele) atingem um resultado imediato, mas depois não conseguem manter e evoluir na sua posição. Honestidade é muito mais do que quem não rouba. Honestidade pode ser sinônimo de transparência, e pessoas transparente aceitam mais facilmente serem cuidadas. Para ter saúde mental é preciso se deixar cuidar, e por causa do estigma sobre o tema, a maioria das pessoas não se permitem serem cuidadas”, explicam os professores.

2. Resiliência – A resiliência é uma das habilidades a serem desenvolvidas para melhorar sua saúde mental e não só na pandemia. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já fala sobre a depressão ser a maior responsável pela perda de produtividade há pelo menos 10 anos. “Nós temos uma fuga eterna na negação. A resiliência se constrói estando aberto a aceitação, se conhecendo melhor, você começa a experimentar coisas novas na vida. Ao invés de ficar se lamentando na pandemia porque perdeu a rotina normal, aproveite e faça coisas novas, experimente coisas novas, assim você constrói e trabalha a resiliência”, dizem os psiquiatras.

3. Se socializar – Para muita gente, o equilíbrio emocional é uma utopia. O mundo foi forçado ao isolamento social, mas com um apelo muito afetivo, não se pode encontrar as pessoas das quais se gosta, amigos e familiares. “Nós que estudamos saúde mental sabemos da importância da interação com outras pessoas. Sem interagir nós perdemos oportunidades, seja de trabalho, de uma ideia ou de falar o que você está sentindo. Quando sairmos dessa pandemia nós vamos ter que aprender a sentar na mesa e deixar o celular de lado”, afirmou Bigelli durante a live.

4. Ter empatia  – A empatia é uma das maiores ferramentas que existe para ajudar alguém. “Quando você é empático, você não julga e ajuda as pessoas. Mas isso é um exercício. É colocar-se no lugar do outro como se fosse o outro e não sendo vc mesmo”, garante os professores.

5. Sustentar esforço – É preciso conseguir sustentar um esforço para alcançar os objetivos da vida, que são imprescindíveis para a saúde mental. Se a pessoas consegue se organizar, manter as tarefas regularizadas e não se afobar, elas já têm capacidade de manter uma mente sã. Para os dois psiquiatras, “essa habilidade é sobre não criar expectativa sobre quando vai sair uma vacina contra o coronavírus, por exemplo. Essa atitude não ajuda, é preciso focar na sua rotina e planejá-la dia após dia”.

6. Manter a mente aberta – O autoconhecimento só é adquirido com a mente aberta. É preciso experimentar coisas novas para poder construir o seu autoconhecimento. Você pode não gostar ou amar a novidade, mas faz parte, porque a cada gostar ou não gostar você está se conhecendo mais. “O autoconhecimento nunca tem um fim, ele é constante e cada dia é há uma descoberta nova”.

Conheça o curso “Mente em foco”

 

Fonte: Revista Exame

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here